domingo, abril 05, 2015

Felinos


(Balthus)


Ode ao Gato

Tu e eu temos de permeio
a rebeldia que desassossega,
a matéria compulsiva dos sentidos.
Que ninguém nos dome,
que ninguém tente
reduzir-nos ao silêncio branco da cinza,
pois nós temos fôlegos largos
de vento e de névoa
para de novo nos erguermos
e, sobre o desconsolo dos escombros,
formarmos o salto
que leva à glória ou à morte,
conforme a harmonia dos astros
e a regra elementar do destino.


José Jorge Letria, in "Animália Odes aos Bichos"




Os felinos morrem de garras afiadas e corpo arqueado no momento do ataque, jamais revelando fraqueza. Tal como se entregam, indomáveis e intensos, recebem o golpe mortal, certeiro e limpo.

14 comentários:

  1. uma Santa Páscoa na certeza de que precisamos de ressuscitar na alegria, na esperança e no amor, todos os dias. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Daniel, pelos teus votos. Que tenha sido uma excelente Páscoa para ti também.

      Beijos. :)

      Eliminar
  2. Os gatos são muito independentes, gostam de dar umas voltas, não toleram estar presos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto, são-no.

      Bem vindo, Tozé, e obrigada pelas palavras. :)

      Eliminar
  3. Eu, pássaro
    sempre receei
    o gato

    Antes asas
    que garras
    (embora inveje as águias)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto de pássaros mas, a não ter asas, sentir-me-ia bem na pele de um felino.

      Beijos, Rogério. :)

      Eliminar
  4. Não consigo gostar de Brahms, não consigo gostar de pessoas que escrevem sobre gatos e que não gostam de gatos e até acham que eles são bichos.
    Não consigo deixar de gostar de Balthus que apesar dos títulos aristocráticos com que o mimavam o que queria ser era gato ou pelo menos rei dos gatos que é um grau nobiliáario muito inferior a gato.
    Para não ser tudo pela negativa e porque hoje é Aleluia, gosto quando tu me visitas e me deixas beijinhos, fico a ronronar!
    Beijinhos para ti também!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não gostas de Brahms? OH!
      Quanto ao resto, apesar de começares por uma negação, está de acordo com o post, já que é um elogio aos gatos, complementado com um magnífico Balthus.

      Beijos, Luís. :)

      Eliminar
  5. Gosto de Brahms e este concerto pareceu-me muito bom.
    Gosto de gatos, sempre me pareceram animais que não se deixam vergar, por dá cá aquela palha !
    E gostei "Ode ao Gato" do José Jorge Letria !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá voltamos a estar de acordo, Ricardo! :)))

      Beijos. :)

      Eliminar
  6. Gostei! Adoro gatos, cada um com a sua personalidade tão distinta, o mistério envolto neles, a languidez do olhar, a devoção e independência...
    Nota-se que gosto de gatos? :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso tudo, GM! :D
      Nãããã! :P

      Beijos. :)

      Eliminar
  7. No supremo sacrifício da entrega
    os felinos não escolhem alturas.
    Dizem os sábios antigos:
    têm sete vidas para aprender a cair!
    Senhor, não os deixeis cair
    no esquecimento da calçada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felinos. Lindos!

      Beijos, Agostinho, e um muito obrigada pela tua presença. :)

      Eliminar