sábado, fevereiro 21, 2015

Do desejo de voar

(Geoffrey Johnson)

"Há uma rua, um pouco mais acima, onde gostaria de voltar um dia. Segui por essa rua nessa manhã. (...) Mais adiante a rua desembocava no céu, como se conduzisse à beira de uma falésia. Avançava com o sentimento de leviandade de que por vezes somos acometidos nos sonhos. Não tememos nada. Todos os perigos são irrisórios. SE as coisa correm realente mal, basta-nos acordar. Somos invencíveis. (...) Em breve alcançaria a falésia e lançar-me-ia no vazio. Que felicidade, pairar no ar e conhecer finalmente aquela sensação de ausência de gravidade que sempre procurara."

Patrick Modiano, in "No Café da Juventude Perdida"




Desde sempre havia nela um secreto desejo de voar. Tivera até, um dia, a sensação de que lhe cresciam asas. Sentiu uma dor aguda nas costas, precisamente ali, onde elas deviam ficar, prontas a abrir-se e a bater, levando-a a sobrevoar o mar, para além da falésia. Certo é que a dor ficou e as asas nunca apareceram. Valiam-lhe os sonhos.

20 comentários:

  1. Os sonhos são as asas dela, as dores, essas hão-de permanecer.
    Lindo Maria :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca nos livramos das dores. Haja sonhos! :)
      (obrigada)

      Beijos, Sandra. :)

      Eliminar
  2. Do you want to fly with me?

    Lets go, my friend :)

    Kiss to Maria Tu ******************

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. What time are you coming? ;)

      Beijocas, miúdo. :)

      Eliminar
  3. Os sonhos são as nossas asas. Mas às vezes falta o doce sabor da realidade :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos que procurar cumpri-los, I! :)

      Beijo. :)

      Eliminar
  4. Asas... asas... desejos dos homens... voar para munods novos e novos amores....
    Meu Deus que blog lindo!!!
    Posso te seguir? Vim aqui através da Imprópria (seguimo-nos um ao outro)....
    Só te sigo se você autorizar, pois meu blog é "impróprio para consumo"....

    ResponderEliminar
  5. Muito obrigada pelas gentis palavras!
    Claro que podes seguir! Um blog é para ser lido por quem o queira fazer. :)

    Beijinhos. :)

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. Pelo menos deles não podem privar-nos. Embora possam desanimar-nos...

      Beijo, SD! :)

      Eliminar
  7. Com asas ou sem asas, nunca deixemos de voar. Já as dores... sonhemos que desaparecem :)

    ResponderEliminar
  8. A esperança tem asas. Faz a alma voar...:)


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pássaro inventado...

      Beijinhos, Legionário. :)

      Eliminar
  9. Há noites que são reais com voos de todos os tipos, de observação, de exploração, entre nuvens... embora, de manhã, ao acordar, nenhum aparato seja evidente. Apenas penas. Por que razões o sonho não pode continuar .Fly, fly...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há sonhos dos quais nunca se quer acordar.

      Beijinhos, Agostinho. :)

      Eliminar
  10. Olá Maria,
    Tantas vezes é esse voar que nos salva do desespero. Se não temos asas, viajamos nas asas do sonho e da esperança.

    bjn amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que as tuas asas nunca doam!

      Beijos, Carmem! :)

      Eliminar