quarta-feira, janeiro 28, 2015

Conselho 2

(Andy Clover)





É na observação da tua total insignificância que reside a tua absoluta importância.

15 comentários:

  1. Este é forte! Se ado(p)tado pode livrar-nos de grandes maçadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos devemos ter conciência de como somos pequenos...

      Beijinhos, Agostinho! :)

      Eliminar
  2. eu cá deixava alguns perceberem que não há mais nada além da insignificância :))
    beijinhos Maria! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso também é verdade, I! :)))

      Beijocas. :)

      Eliminar
  3. Leio e releio. Dou mil e uma interpretações possíveis e quase todas são um mau conselho. Por exemplo: se o meu apagamento tende para zero, tende para infinito a minha importância para quem me domina.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apenas me refiro à necessidade de reconhecermos a nodsa insignificância. Só aqueles que sabem da sua pequenez são capazes de ser verdadeiramente grandes.

      Beijinhos, Rogério! :)

      Eliminar
    2. Já é muito tarde para me reconhecer tanta humildade. Sou grande. Sou um gigante!!! :))

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Foi o que pensei quando vi esta instalação. :)

      Beijinhos, Daniel! :)

      Eliminar
  5. Há muita gente infeliz que por não saber tolerar com resignação a sua própria insignificância!:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabem que há grandeza nesse reconhecimento!

      Beijinhos, Legionário! :)

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Se assim for, és um grande homem!

      Beijinhos, Henrique! :)

      Eliminar
  7. Por vezes
    ser inteligente dá jeito

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu diria que dá sempre. Até para fingir que se é estúpido.

      Beijinhos, Puma! :)

      Eliminar