segunda-feira, janeiro 12, 2015

A morte de um soldado


(Dead soldier from Delacroix's Liberty)


The Death of a Soldier

Life contracts and death is expected,
As in a season of autumn.
The soldier falls.

He does not become a three-days’ personage,
Imposing his separation,
Calling for pomp.

Death is absolute and without memorial,
As in a season of autumn,
When the wind stops.

When the wind stops and, over the heavens,
The clouds go, nevertheless,
In their direction.

Wallace Stevens






A  Morte de um Soldado

A vida contrai-se, e espera-se a morte,
Como se fosse no Outono.
O soldado tomba.

Ele não se transforma num herói de três dias,
Impondo o seu reconhecimento,
Clamando por pompa.

A morte é absoluta e nada memorável,
Como acontece no Outono,
Quando o vento pára.

Quando o vento pára e, pelos céus,
As nuvens seguem, apesar disso,
O seu caminho.

Wallace Stevens, tradução livre de Maria Eu

8 comentários:

  1. Apesar de envolver grande tristeza e dramatismo, é um poema muito belo!
    Uma semana feliz.

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O poeta é Grande!

      Obrigada, Mariazita! Beijinhos. :)

      Eliminar

  2. Este poema devia ser lido
    No dia de "juramento de bandeira"
    Com os recrutas formados na parada
    E depois ser tocado o hino

    ResponderEliminar
  3. Em pose grave, calado, inerte
    o soldado tem um contrato
    improvavel com a morte:
    ficar preso à dignidade da farda:
    confinado às tábuas dum caixão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A condição de soldado é assim, interligada com a morte.

      Beijinhos, Agostinho! :)

      Eliminar