segunda-feira, março 30, 2015

Saudade


(Manuel Amado)


(...) 
Saudade... Oiça, vizinho, sabe o significado desta palavra branca que se evade como um peixe? Não... e treme-me na boca o seu tremor delicado... Saudade...
 Pablo Neruda, in "Crepusculário"




E às vezes, sem quê nem porquê, vem aquela dormência no coração, aquela que tem nomes e lugares gravados e se chama saudade... Como se mata a saudade? 

10 comentários:

  1. Só sei uma forma de matar a saudade, a óbvia. Se essa não houver, a saudade não morrerá, pois não?

    Gosto muito de Manuel Amado.

    Beijos, Maria! :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só morrerá quando morrermos.

      Beijos, Susaninha. :)

      Eliminar

  2. Respondo-te com um poema que Tu me deste a conhecer...
    «Saudade é um pouco como fome.
    Só passa quando se come a presença.
    Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda.
    Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.»
    CLARICE LISPECTOR

    Beijos (prometidos) no teu rosto
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fazeres-me chorar não vale!

      Beijos, amiga. :)

      Eliminar
  3. Nunca olhei a saudade como adversa
    Pelo contrário, quando ela chega pegamo-nos à conversa
    Ela fala-me das razões das partidas
    das ausências, das feridas
    Eu por vezes peço-lhe que não vá embora
    e, perante a surpresa dela, digo-lhe "És a minha memória"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Invejo-te, Rogério. És sábio.Sábio e feliz.

      Beijos. :)

      Eliminar
  4. Na impossibilidade de as matar fisicamente é matá-las mentalmente....

    ResponderEliminar
  5. Saudade: doença que se deseja
    acarinha e mantém com laços
    que pedem braços-abraços.
    Cura-se na boca que se beija.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez não tenha cura, Agostinho.

      Beijos. :)

      Eliminar