quarta-feira, março 04, 2015

Gelo

(foto daqui)


Insinua-se a morte por estes dias com uma agudeza gélida. Passeia-se pelas casas, acompanha alguns, com displicência, até ao hospital. De quando em vez ausenta-se, fica a fumar um cigarro, às vezes dois ou três, e então regressa e instala-se, definitivamente. 
É uma grande filha da puta, a morte! Diz que vai só ali matar o vício do tabaco para disfarçar...


16 comentários:

  1. Este teu post fez-me lembrar o "Intermitências da Morte" do Saramago.
    E acho que a morte pode também ser um grande alívio. :-)

    Beijinhos, Maria! É sempre tão bom vir aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A morte pode ser um alívio, sim. Inexplicavelmente, quando nos toca de mais perto, há alguma dificuldade em aceitá-la.

      Beijos, Susana, e muito obrigada. :)

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Parece que é tempo de ceifa...

      Beijos, amiga.

      Eliminar
  3. Uma sinopse muito interessante de livro, de argumento...

    O gelo não é
    (obrigatoriamente)
    inerte
    também derrete
    aquece e estremece
    enfim
    vai às nuvens
    se obedece
    à sorte que tem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. O gelo é meio inconstante. :)

      Beijinhos, Agostinho. :)

      Eliminar
  4. Credo Maria que frio vai por aqui!
    A puta da morte é sinistra!
    Neste ambiento gélido e triste
    apenas sei que senti
    Que quando me viste...sorriste
    E contigo...renasci!

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade! Sorrio quando te vejo aqui! :)

      Beijos, Maria/Manel. :)

      Eliminar
  5. Esse frio horrível torna-nos mais duros e mais resistentes... Não sei se é bom, mas caba por nos defender. Custa a acreditar mas é mesmo assim...
    E se custa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz parte da vida...

      Beijinhos, António Bernardo. :)

      Eliminar
  6. "Temam menos a morte e mais a vida insuficiente." Bertolt Brecht

    Sábia citação Maria!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sábia, decerto, mas não leva com ela a dor das perdas.

      Beijinhos, Legionário. :)

      Eliminar
  7. A morte gosta de jogar à roleta russa. Não há aposta que não consiga ganhar...
    Deixo um beijo e um abraço :)

    ResponderEliminar
  8. Esse frio por vezes anda a rondar-nos e consegue apanhar alguém sem dó nem piedade deixando-nos gelados.... Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser o anunciar da Primavera. Leva os mais frágeis...

      Beijo, Gaja Maria, e obrigada pelas sempre simpáticas palavras. :)

      Eliminar