segunda-feira, março 09, 2015

Beijos, flor.

(Alex Gnidziejko)


Todos os dias, havia já alguns anos, recebia uma mensagem dele. Mandava-lhe beijos e chamava-lhe flor. Sabia que não responderia. Sabia que não a veria. Ainda assim, continuava a florir-lhe  de beijos o ecrã.


15 comentários:

  1. Há pessoas resistentes à persistência de afectos...
    mas, pelo silêncio,
    ou está morta por dentro
    ou gosta de os receber

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez a façam sentir querida, sei lá...

      Beijinhos, Rogério. :)

      Eliminar
  2. Isso é coisa para me deixar apaixonada :)

    ResponderEliminar
  3. A insensibilidade é um mar inultrapassavel.
    Boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez fosse mais insensível se respondesse sem retribuir o sentimento.

      Beijinhos, Agostinho. :)

      Eliminar
  4. O essencial é sentir directa e simplesmente! :)

    Boa semana, Maria :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem gadjets de permeio. :)

      Beijinhos, Legionário! :)

      Eliminar
  5. Ainda há quem acredite no Amor platónico...
    Para além de tudo o mais, a persistência, às vezes, é recompensada...

    Obrigada pela presença na minha «CASA».

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. Devem ser, Luísa. (não são meus)

      Beijo. :)

      Eliminar
  7. Mesmo não virtualmente, há sempre quem ame em silêncio.
    Ou chore um amor tão verdadeiro e total quanto sabê-lo
    sempre adiado por motivos estranhos, em que o poder da
    imaginação ou anseio premente de perfeição não são meros detalhes...
    Mas, parafraseando alguém, "nada do que é humano consegue ser-me estranho"...
    Perdão... possivelmente nem sequer estou a citar como devido.
    Deve ser da hora adiantada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode nem ser virtual mas apenas platónico, sei lá...

      Bom dia, Maria. :)

      Eliminar