quarta-feira, dezembro 03, 2014

Xô! Xô!

(David Wilcox)


Todo o dia me disseram dos desgostos, dos mortos, dos fantasmas. Sentados naquela mesa redonda estávamos quatro e três tinham mais do que outros tantos a acompanhá-los. Filhos no colo, pais apoiados no ombro, avós amparados no braço, maridos e namorados a deambular de um lado para o outro da sala. Não quis falar. Os meus desgostos, mortos e fantasmas ficaram lá dentro, na minha despensa, fechados. Ia lá querer que a avó Liliana, tão delicada, viesse conhecer o avô da Cristina, um brutamontes que dava com a bengala na mulher quando esta se atrasava com o almoço! Mesmo o António, aquele namorado parvo que metia dó, que costumava cantar o "Smoke on the water" (lá bom gosto musical tinha...) enquanto me segurava pela cintura e me abraçava, logo depois de regressado de casa da Joana, onde também cantara Pink Floyd e a abraçara pela cintura, não ia achar piada nenhuma ao namorado da Lena, aquele rapaz de ar enfermo que nunca se ria.
Os filhos, até vá que não vá, à excepção do ranhoso do Gasparzinho que, não lhe bastando ter sempre o nariz cheio de moncos (até fazia bolas ao respirar, blhec), dava cabo de qualquer objecto que encontrasse pela frente, nem que fosse de aço!
Levantei-me da mesa e deixei-os todos lá, os três mais a cambada de gente que cada um trazia consigo. Ora, que vão para o Diabo que os carregue! Ou então, que os tranquem na despensa!



13 comentários:

  1. A classe média, é assim...
    (blhec
    acho uma interjeição um bocado "quéque")

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é!

      ("ca nojo", será melhor?) :P

      Beijinhos Marianos, Rogério, nada queques! :)

      Eliminar
  2. "Classe média". É tudo e nada ao mesmo tempo. Por estes dias, está mais perto do nada que do tudo...!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É de uma certa mentalidade meio suburbana e idiota que se fala, digo eu, não da classe média em geral.

      Beijinhos Marianos, Legionário! :)

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Gente que vou aturando mais do que gostaria, Uvinha!

      Bejinhos Marianos! :)

      Eliminar
  4. Não gostei nada do avô da Cristina.Detesto brutamontes!

    ResponderEliminar
  5. Nesse nevoeiro todo, o que andaste a fumar, Tu Maria?
    Umas bengaladas para esse que batia na Mulher, coitada, que ainda por cima lhe fazia o almoço!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu nem fumo, bolas! ;)

      Beijinhos Marianos, caro Tio do Sul! :)

      Eliminar
  6. É matemático! O tempo, as doenças, a menina que há de ser doutora de leis, o Socras.
    Quando não há tema é de temer. É de fugir, enquanto há tempo, antes de começar a tremideira. Conversas destas fazem mal à digestão.
    Fez bem, Maria, pirar-se desopilar e deixá-los a azedar. Na segunda irão à consultazinha para contar como foi. No domingo…

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo de fugir!

      Beijinhos Marianos, Agostinho! :)

      Eliminar