domingo, dezembro 21, 2014

Decisão


Há uns tempos que Maria Constança sentia uma dor que a não deixava dormir. Não sabia descrever-lhe a origem já que a tolhia por dentro, chegando, até, a sair-lhe pelos olhos, de tanto a magoar. Naquele dia, levantou-se a custo, vestiu a sua roupa preferida, foi ao jardim buscar gladíolos, encheu a casa de jarras floridas deles, pôs Nina Simone a cantar-lhe e arrumou cuidadosamente a casa. Depois, sentou-se à mesa onde tinha posto um queijo de cabra, umas fatias de broa e uma garrafa de vinho tinto alentejano. Comeu vagarosamente e, também vagarosamente, bebeu dois copos de vinho e arrumou a loiça na máquina. Então, dirigiu-se ao quarto, tirou os sapatos, o vestido, a roupa interior, deitou-se na cama onde estendera a colcha vermelha, enrolou-se nela e deixou-se morrer.



15 comentários:

  1. A Constança não é alguém singular.
    Nem o facto de ouvir Nina ou se cobrir com colcha vermelha a torna caso raro.
    São tantas e tantos
    os que
    se consideram mortos e morrem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para morrer, basta estar vivo.

      Beijinhos, Rogério! :)

      Eliminar
  2. A cada dia, após os trabalhos da casa, nos deixamos morrer...
    Quem duvida?
    Não eu. Mas que se faça em beleza e harmonia, que são sensações de paz...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Morrer a cada vez.

      Beijinhos, Maria Silva! :)

      Eliminar
  3. Poderia ter sido eu: gosto de Nina Simone, gosto de queijo e de vinho alentejano, gosto de estar sozinha, gosto ter a casa arrumada, e gosto de me deixar morrer.

    Mas quem diria que uma Menina I, e II, poderia vir a ser a *Maria Constança*...?

    Boa noite, Maria!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, mas as meninas crescem, abrem os olhos ao mundo e voam!

      Beijinhos, Teresa, e uma boa noite! :)

      Eliminar
  4. Ela merecia uma petite mort... Alguém com esse tipo de prazeres por degustações epicuristas merece a transcendência.

    Beijo Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem sabe teve muitas e morre por falta, agora...

      Beijinhos, Eros! :)

      Eliminar
  5. Decidir: sucumbir à preponderância de um determinado conjunto de influências sobre um outro conjunto de influências.

    Boa semana Maria:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Decidir desistir, antes que fosse tarde.

      Beijinhos, Legionário, e uma excelente semana para ti! :)

      Eliminar

  6. Pois a natividade é nascimento... renascimento...
    É com esse espírito que te venho trazer votos de um

    ……………¨♥*✫♥,
    ………,•✯´………´*✫
    …….♥*……………. __/\__
    .….*♥…………….....*-:¦:-*..
    …¸.•✫…....… FELIZ NATAL...
    ...*♥...........................¨♥*✫♥.......
    .,•✯´................................,•✯´........
    •♥............................Muitos beijinhos
    ✯...................................Afrodite (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Umas Festas Felizes para ti também, minha querida!

      Beijos Natalícios! :)

      Eliminar
  7. Adoro gladíolos...Gosto de os levar ao meu pai,no cemitério!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São lindos. (ele gostaria, certamente)

      Beijos, Til! :)

      Eliminar
  8. Pelos olhos passa tudo
    tudo o que é alento
    Antes de sair-lhe,
    a dor,
    era bebida forma
    o que é forma.
    Tem alívio do tormento.
    quem se sacia assim,
    a si.

    ResponderEliminar