sábado, dezembro 06, 2014

Falta

(Rebecca McGetrick)

Para Maria Antónia, a coisa mais estranha não era sentir-lhe a falta, era sentir saudades dos seus ciúmes. Talvez por (pres)sentir que, nele, aquele ciúme poderia ser o que mais de semelhante havia ao amor.


12 comentários:

  1. O ciúme é um sentimento mais definível que o amor, mas mesmo assim difícil de ser definido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só podemos dizer que são ambos sentimentos fortes.

      Beijinhos Marianos, Rogério! :)

      Eliminar
  2. Por amor se enciumam pelo ciúme se consomem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Agostinho! :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  3. O ciúme é ainda o melhor cumprimento dos amantes. Diz muito dentro: “Eu não te mereço”. Diz sem querer dizer: “Quero-te mais do que tenho – por muito que te tenha, quero-te, sempre muito mais”.

    Bom Fim de Semana Maria:)
    Estarei de férias até ao dia 17, com muito espirito Natalicio:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei! :)

      Beijinhos, Legionário, Legionário e umas excelentes férias! :)

      Eliminar
  4. .

    .

    . desde que o ciúme não confira a elegia à poesia . até porque . o lamento (geral.mente) chega tarde de.mais .

    .

    . um beijo meu . maria .

    .

    .

    ResponderEliminar
  5. O que pode ser sentido em amor deverá ser a falta de ternura, porque encontro no ciúme falta de respeito gerado por desconfiança no carácter de um outro...
    Ciúme também pode indicar falta de dignidade sentida por um ser humano em relação a si próprio...
    O sentimento de perda não tem de ser forçosamente ciúme.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que não, Maria! :)

      Beijinhos Marianos!

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Deveras estranhos, Luísa!

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar