segunda-feira, junho 08, 2015

Jardim de Eros

(Robert Mapplethorpe)



Erguia-se, orgulhosamente erecta. Flor pujante e viril. Corpo aveludado ao toque, de veios traçados num emaranhado desenhado como que a sangue.Voluptuosa, exalando um perfume intenso que despertava o desejo. 
Ela aproximou-se, como se fosse dona do jardim, e tomou-a nas mãos fazendo-a sua.


8 comentários:

  1. Orgulhoso por ver uma obra de Hilla-Lobos aqui....
    E a flor se fez dela e ela dona da flor....e ambos se pertenceram de forma biunívoca...
    Delícia de post....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Villa-lobos é fantástico!
      Obrigada.

      Beijo. :)

      Eliminar
  2. O antúrio da vizinha é tão fresco e viçoso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acabaste de me dar uma ideia para um post.

      Beijos, Ness. :)

      Eliminar
  3. Somos todos donos daquilo que sentes como teu
    Foi Eros quem mo segredou ao ouvido
    O mesmo me disse Cupido

    ResponderEliminar
  4. Tantas rimas que tem a Flor!
    quando se incendeia de fogo
    o vermelho surpreende até à dor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Flor, objecto de desejo e fonte inesgotável de poemas!

      Beijos, Agostinho. :)

      Eliminar