domingo, junho 07, 2015

Enleio

(Louis Jean François Lagrenée)

Quando os olhares de ambos se encontravam, nunca se percebia onde terminava o dela e começava o dele.


18 comentários:

  1. Um perfeita definição do AMOR!
    Excelente escolha do vídeo de Antonio Carlos Jobim e Miúcha - Pela Luz Dos Olhos Teus !
    Um beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como deveria ser a cada vez.
      Jobim é maravilhoso, mesmo!

      Beijo, Fê. :)

      Eliminar
  2. Fundiam-se no mesmo desejo que não conhecia princípio nem fim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E vai-se pela luz que emanavam.

      Beijos, Miss Smile. :)

      Eliminar
  3. Amar é isso... não é olhar uma para o outro... é olharem, ambos, para a mesma direção.
    Nesse instante mágico, os olhares se fundem!!!!
    Eu tenho um poema que fala exatamente sobre isso:
    "Eu te olho e te enxergo.
    Tu me olhas e enxerga-me
    E eu te vejo com teus olhos
    E tu a mim, com os meus..."

    Beijos e obrigado pela visita!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deveria ser sempre assim.

      Beijos, rapaz de além mar. :)

      Eliminar
  4. O naufrágio perfeito :)
    Quando os olhos se encontram, nada mais importa, Maria.
    Beijinho minha querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apetece ter um olhar assim.

      Beijos, Sandra. :)

      Eliminar
  5. Perfeita, essa solvabilidade dos olhares sublimes, o dele e o dela sem que se diferenciem no encontro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deseja-se mergulhar num igual.

      Beijos, Rogério. :)

      Eliminar
  6. São olhares que despem a alma Maria :)
    Beijos :)

    ResponderEliminar
  7. Há sorriso mais bonito do que o do olhar? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sorri-se com os olhos a brilhar.

      Beijos, Ness,e força nessas novas tarefas. :)

      Eliminar
  8. Dê Deus asas aos olhares qque brilham no amor.

    ResponderEliminar