domingo, setembro 14, 2014

Vindima amorosa

CONTINUUM: A LOVE POEM
going for grapes with  

 ladder and pail in         
the first slashing rain       

of September    rain      
steeping the dust          
in a joyous squelch   the sky  
standing up like steam     
from a kettle of grapes     
at the boil    wild fox grapes
wickedly high    tangled in must 

of cobweb and bug spit          
going for grapes    year           
after year    we two with        
ladder and pail stained            
with the rain of grapes           
our private language  
             
                           
Maxine Kumin


(The Vines California Landscape - Monique Straub, PSA)

CONTINUUM: UM POEMA DE AMOR
Ir apanhar uvas e levar

uma escada e um balde
ao cair das primeira chuvas intensas

de Setembro            a chuva
macerando a poeira

num alegre silenciador  do céu
evolando-se como o vapor

de uma chaleira de uvas
em ebulição     as uvas raposa*selvagens
num local perversamente alto    enroscadas

em teias de aranha e cuspo de insectos
procurando uvas       ano
após ano        nós dois com
uma escada e um balde tingido
pela chuva de uvas
a nossa linguagem secreta


*variedade de uva nativa dos Estados Unidos.

Maxine Kumin, traduzida por Maria Eu

6 comentários:

  1. Fizeste-me lembrar outros tempos. Vindimas, mãos sujas das uvas, família e infância :)
    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pés sujos, também! :)

      Beijinhos Marianos, I! :)

      Eliminar
  2. Ainda se usam e têm poesias, as vindimas.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois têm, Pérola! :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  3. Quando, perguntava com intenção cheia de malícia
    "queres ir comigo às uvas?"
    nem sabia que existia
    tal poesia
    nem tal dança, nem tal dança

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E partilhavas um balde, ou um cesto? ;)

      Beijinhos Marianos, Rogério! :)

      Eliminar