sexta-feira, setembro 12, 2014

Partir


 (René Magritte)

- Vais-te embora? perguntou-lhe, ainda no entorpecimento das carícias.
- Não, vou partir!


10 comentários:

  1. Neste contexto Maria, a situação dos que ficam é sempre mais triste do que a dos que partem. Partir é um movimento que se dissipa, e nada distrai as pessoas que ficam...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Resta, aos que ficam, partir também.

      Beijinhos Marianos, Legionário, e bom fim de semana, em branco! :))

      Eliminar
  2. Partir é muito diferente de ir embora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Soa mais definitivo.

      Beijinhos Marianos, JM! :)

      Eliminar
  3. Voltar as costas a mim próprio?
    Não,
    nunca partirei. A não ser
    quando acontecer

    ResponderEliminar
  4. Às vezes há que partir... Outras, há que ficar...

    Beijinhos Marianos, Rogério! :)

    ResponderEliminar
  5. Sabes Maria, a mim apetece-me partir as idas embora e ficar para continuar a partir o que não presta e quem sabe mandar ir, porque uma coisa é ir outra é mandar...olha, estou no ir ;)**

    ResponderEliminar
  6. Trocadalhos do carilho? ;)

    Beijinhos Marianos! :)

    ResponderEliminar