quarta-feira, janeiro 22, 2014

Manhã

(Henri Cartier-Bresson) 
Veio pela manhã, a neblina ainda beijava o rio e a luz atravessava-a, aparecendo difusa aos olhos menos atentos. Abraçaram-se em silêncio, pele com pele, coração com coração. Aproveitaram a neblina e esconderam-se de todos os olhos, mesmo dos mais atentos.

9 comentários:

  1. De manhã, escureço. De dia, tardo. De tarde, anoiteço. De noite, ardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://www.youtube.com/watch?v=Y8CDvNa_6Jo

      Beijinhos Marianos, Legionário! :)

      Eliminar
    2. http://www.youtube.com/watch?v=jHTcEj_Am2E

      Eliminar
    3. Obrigada, Catarina! :)

      Beijinhos Marianos e obrigada pela visita! :)

      Eliminar
  2. É preciso de vez em quando criar "refúgios":) Há sempre olhos curiosos!!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é tão bom, encontrar refúgios... :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar