domingo, janeiro 19, 2014

Voo

(Lourdes Castro)

Ambos costumavam passear naquela avenida sempre que o sol espreitava por entre os edifícios escurecidos pelo tempo. Saíam de casa, olhando a sombra projectada no chão, sorrindo para aquela companhia que a luz permitia dar-lhes. Sonhavam poder voar, olhar a cidade de cima para baixo. 
Quando as suas sombras se encontraram, aconteceu! Deixaram-nas a falar uma com a outra e levantaram voo!


10 comentários:

  1. Uma pessoa que consegue brilhar nas sombras, consegue ser feliz em qualquer lugar, em qualquer circunstância.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve conseguir, Legionário. :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Deveria ser assim... :)

      Beijinhos Marianos, MA! :)

      Eliminar
  3. Também por isso "invejo" os pássaros.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Voar... Seria bom! Ou então, teriamos um frio dos diabos! ;)

      Beijinhos Marianos, Rui! :)

      Eliminar
  4. E que bom não precisarmos de asas para voar! Assim, voando cá em baixo, não temos frio, pelo contrário, ficamos mais juntos de quem queremos. :-)
    Beijinho, Maria.

    ResponderEliminar
  5. Bonito, isto!

    Por vezes procuramos nossas sombras, mas elas estão lá. Sinal
    que nos falta voar... (um dia há-de calhar...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Rogério! :)

      Já voamos, na nossa imaginação!

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar