sexta-feira, janeiro 31, 2014

Falta

 (Lena Kramaric)
 



Virilha contra virilha
reconstruo o meu corpo
colado ao teu. Choro.
Não estás a meu lado.
Virilha contra nádega
asas de salvação efémera
reconstruo o teu corpo
junto ao meu. Choro.
Sem os meus braços
envolvendo-te a cintura,
sem as tuas pernas no meu pescoço,
sem a tua mão moldando-se
ao meu ventre
choro: não estás a meu lado.
Sem a tua boca
no meu peito, a tua língua
no meu sexo, os teus seios
soltos, desenfreados
choro: não estás a meu lado.
Sem as tuas fendas
e lagos sou um pobre animal
desamparado, e choro
sobre o teu ninho nos lençóis
em que não posso derramar
o olhar, o sémen, as palavras
de quando estás a meu lado. 


Casimiro de Brito


E há no meu corpo a saudade do teu, virilha contra virilha, da tua mão moldando-se ao meu peito, do derramar das palavras e do sémen de quando estás ao meu lado.


14 comentários:

  1. Que maravilha de texto, Maria!

    Beijinhos observadores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimenta descobrir este poeta. Tem coisas belíssimas!

      Beijinhos Marianos, Observador! :)

      Eliminar
  2. A volúpia carnal é uma experiência dos sentidos, análoga ao simples olhar ou à simples sensação com que um belo fruto enche a língua. É uma grande experiência sem fim que nos é dada; um conhecimento do mundo, a plenitude e o esplendor de todo o saber.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso tudo junto com amor, então...

      Beijinhos Marianos, Legionário! :)

      Eliminar
  3. .

    .

    . faltar é por ora ser preciso . _________________ . num só corpo que se des.ampara em queda livre . embora prive na saudade do corpo Seu .

    .

    . [. grato pela visita .] .

    .

    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na falta há sempre um "ser preciso".

      A visitante é que agradece ter acedido a um espaço de rara beleza!

      Beijinhos Marianos, intemporal! :)

      Eliminar
  4. O erotismo pode ser um solo de violino
    e um orgasmo um ponto alto do que está a ser tocado
    um até um pizzicato

    (Casimiro de Brito, é uma boa proposta)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Julgo que não é um solo, mas sim um dueto. :)
      E sim, Casimiro de Brito é fantástico!

      Beijinhos Marianos, Rogério! :)

      Eliminar
  5. Uma saudade carnal muito intensa e quase pueril.

    Contraditória.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é o corpo, de certa forma, inocente? A mente é que etiqueta tudo...

      Beijinhos Marianos, Pérola! :)

      Eliminar
  6. Um poema que se sente na pele e que me arrebatou.Maravilhoso!

    Obrigada pela visita.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um autor com poemas lindíssimos!

      Obrigada estou eu, pela presença! :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  7. O que tem de belo e erótico tem também de triste.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. Uma falta funda...

      Beijinhos Marianos, VDT! :)

      Eliminar