domingo, novembro 23, 2014

Destino



(Michael Papendieck)


Onde, os meus passos, se não couber mais nos teus (a)braços?


 

12 comentários:

  1. Sem esses abraços o mundo não é tão seguro :)
    Beijinhos Maria :)

    ResponderEliminar
  2. Não basta dar os passos que nos devem levar um dia ao objectivo, cada passo deve ser ele próprio um objectivo em si mesmo, ao mesmo tempo que nos leva para diante.
    E, Maria o melhor do abraço não é a ideia dos braços facilitarem o encontro dos corpos. O melhor do abraço é a subtileza dele. A mística dele. A poesia...:)

    Boa semana Maria, com muitos abraços :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é! Ficar num abraço, em silêncio, a sentir apenas os corações a bater em uníssono...

      Beijinhos Marianos, Legionário, e boa semana! :)

      Eliminar
  3. Sabes que quando se fala em passos, fico com os dois pés atrás :-)

    Há muito tempo que não visitava este maravilhoso espaço.
    Deixo os votos de uma boa semana (é já ali) e beijinhos observadores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Observador! Já tinha saudades tuas! :)
      Desse Passos também não aprecio conversa! (o post anterior é mais a tua "onda"! ;))

      Beijinhos Marianos, e uma excelente semana para ti (com saúde)! :)

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Desejando que não tropecem.

      Beijinhos Marianos, MA! :)

      Eliminar
  5. Destino
    é aquilo que acontece
    desde que o façamos acontecer

    e haja (a)braços para nos receber

    e haja

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que haja sempre (a)braços!

      Beijinhos Marianos, Rogério! :)

      Eliminar
  6. O destino faz-se a caminhar
    na hora o desejo há de chegar.

    ResponderEliminar
  7. A não ser que o caminho seja tão longo que já nada reste à chegada!

    Beijinhos Marianos, Agostinho! :)

    ResponderEliminar