quarta-feira, novembro 12, 2014

Como matar um pato

(David Anthone)

Maria Rita costumava conversar com os patos. Nunca conseguira matar um. Bem que Celina lhe dizia: "É fácil! Não vês que o animal não pensa? Mete-se-lhe a faca no pescoço e pronto, aí vai!"
Naquele dia, resolveu experimentar. "Olhem só do que fui capaz!", disse aos patos, erguendo o alguidar com a cabeça de Celina.


Nota: Nunca matei um pato. Também nunca matei uma Celina!

6 comentários:

  1. A metáfora exacta para os tempos que vão correndo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Banalizar a morte pode virar o feitiço contra o feiticeiro...

      Beijinhos Marianos, Rogério! :)

      Eliminar
  2. Maria, a isso chama-se perder a cabeça literalmente:)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, oh! :P

      Beijinhos Marianos, Legionário! :)

      Eliminar
  3. Por esta (e por outras) é que é muito perigoso ensinar a matar.
    E há tanta gente que foi ensinada. E muita mais que anda pelo mundo a matar "patos".

    Boa noite, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito perigoso, mesmo! Infelizmente, esta questão está mais banalizada do que seria desejável!

      Beijinhos Marianos, Agostinho! :)

      Eliminar