segunda-feira, agosto 17, 2015

Um chumbo na asa

(Alex Crétey)


Maria Antónia entreabriu a porta do amplo terraço com o máximo cuidado. Tinha por visita, usualmente pelo meio da tarde, duas rolas de papo branco e asas mosqueadas. Saía devagar, não fosse espantá-las, e sentava-se na espreguiçadeira, livro nas mãos, a perder-se nas palavras embalada pelo arrulhar doce.
Estranhou não as ver no poiso habitual, um fio eléctrico que atravessava a quinta, bem no canto esquerdo Norte, rasando o catavento em forma de galo altivo. Sentou-se mas a leitura parecia não lhe prender devidamente a atenção sem a música costumeira das aves. Inquietou-se.

Eis que um ruído seco, logo seguido de outros semelhantes, lhe feriu o ouvido que procurava o canto. Caçadores! Abrira a caça às rolas… Ferida nas asas que sentia por dentro, entrou em casa. Não voltaria a ler na varanda. Não este Agosto!


10 comentários:

  1. Dizem que a caça serve para equilibrar a população de animais bravos, mas leia-se um documento do ano passado da SPEA e fica-se a saber que afinal muitas das espécies caçadas já se encontram perto da extinção.
    http://www.spea.pt/pt/noticias/inicio-de-mais-uma-epoca-de-caca-insustentavel/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filha de caçador, sangrou-me sempre o peito em dias de caçada.

      Boa tarde. :)

      Eliminar
  2. O meu pai era caçador de tordos, apenas dessa espécie... e eu em miúda custava-me imenso aceitar que ele andasse aos tiros aos passaritos.
    Tempos que já lá vão.

    beijos em contagem decrescente
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Matar nunca foi o meu forte. Antes criar!

      Beijos, amiga. :)

      Eliminar
  3. A caça até pode equilibrar as espécies, mas eu discordo. Deixem viver os animais em liberdade...
    Bjs Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso como tu. Caça, só para comer.

      Beijos GM. :)

      Eliminar
  4. Sou caçador de sonhos
    e não uso chumbos
    às vezes aponto versos
    rimas mal rimadas
    atiradas
    às asas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sonhos também caço!

      Beijinhos, Rogério. :)

      Eliminar
  5. Eu que me afoitei no desejo de uma rola, isto ontem, e vem a Maria com o acre cheiro a pólvora, chumbadas mortiferas. inquinar a harmonia do dia. Como irei calibrar o ouvido na leitura se me falta o la-mi-rola a cantar?

    Venham mais cinco!
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não fui eu, Agostinho, foram os caçadores! Mas Maria Antónia manda dizer que uma escapou. Viu-a esta manhã no sítio do costume.

      Beijinhos.

      Eliminar