quarta-feira, janeiro 20, 2016

Ser casa




(Vincent van Gogh)


De todas as casas que habitei, nem todas me habitaram. Algumas houve que nunca foram capazes de me fazer sentir o ritmo do meu coração a par do seu, talvez porque não tinham as pessoas certas dentro. Outras, carrego-as debaixo da pele, irrigadas pelo mesmo sangue que o meu corpo.


37 comentários:

  1. Respostas
    1. tramada mas abençoada como diz a Miss Smile!
      casa será onde somos felizes, se somos felizes somos casa... ou qualquer coisa assim :) Alice Coltrane podia tocar em contínuo em minha casa, muito bom.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Ando a repetir-me um bocadinho. Deve ser da idade. Fiquei mais nostálgica.

      Beijinhos, Rogério. :)

      Eliminar
  3. Que interessante. Eu, que ainda só habitei uma, sinto que tenho algo da minha identidade cimentado nesta casa.

    ResponderEliminar
  4. A grande diferença entre uma casa e um lar.
    Uma diferença enorme!

    ResponderEliminar
  5. Que bonito, Maria. É tão isto.
    Há casas em que apenas ficamos umas horas, ou uma noite e, no entanto, ficamos inteiros. E lá permanecemos, porque nos ficam.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. é este o meu sentimento. era mais ou menos este o meu "impasse", quando li o teu post Habitar.
    :)
    beijinho

    ResponderEliminar
  7. Olá, há casas que habitam em nós toda uma vida.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Impressas na pele e no coração.

      Beijinhos, Cristina :)

      Eliminar
  8. Às vezes temos de fazer adaptações para cabermos na casa e para que a sintamos como nossa.

    ResponderEliminar
  9. Maria, à priori todos somos a casa do ser...que habita em nós!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a casa somos nós.

      Beijinhos, Legionário :)

      Eliminar
  10. "Como se desenha uma casa"?
    Ou um amigo. Com ou sem?
    Com: nosso é o vermelho que corre
    ripas barrotes e vigas na construção
    - Xi-coração
    Sem: nem casa chega a ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiro abre-se a porta
      por dentro sobre a tela imatura onde previamente
      se escreveram palavras antigas: o cão, o jardim impresente,
      a mãe para sempre morta.

      Anoiteceu, apagamos a luz e, depois,
      como uma foto que se guarda na carteira,
      iluminam-se no quintal as flores da macieira
      e, no papel de parede, agitam-se as recordações.

      Protege-te delas, das recordações,
      dos seus ócios, das suas conspirações;
      usa cores morosas, tons mais-que-perfeitos:
      o rosa para as lágrimas, o azul para os sonhos desfeitos.

      Uma casa é as ruínas de uma casa,
      uma coisa ameaçadora à espera de uma palavra;
      desenha-a como quem embala um remorso,
      com algum grau de abstracção e sem um plano rigoroso.

      Manuel António Pina

      Xi-coração, Agostinho :)

      Eliminar
  11. Principalmente se não tiver as pessoas certas dentro, pois com as pessoas certas dentro "qualquer" casa é o céu.

    Beijos

    ResponderEliminar
  12. A casa tem de ser um lugar confortável e acolhedor, onde nos sentimos bem...

    ResponderEliminar
  13. Respostas
    1. Sabe bem, ser habitado pela casa que habitamos.

      Beijos, Laura :)

      Eliminar
  14. A casa é um refúgio ou um inferno...
    Há casas de passagem.
    Há casas de uma vida.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As faces de uma casa, tal como as de uma pessoa.

      Beijos, papoila :)

      Eliminar
  15. Esta onde estou agora é a que me habita, mas outras que ficaram no passado, nunca me habitaram de tão más que foram!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que chegaste a casa, finalmente!

      Beijos, Helena :)

      Eliminar
  16. Tão bonito o teu texto, Maria. :)

    Roubei tijolos de algumas, só para não as perder de mim.

    Um beijo, Maria. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Castiel!É bom saber-te com casas sob a pele.

      Beijos :)

      Eliminar
  17. Em toda a minha vida só habitei na verdadeira aceção da palavra em duas casas e ambas carrego debaixo da pele... Adorei Maria. Beijinho

    ResponderEliminar
  18. Algumas só me habitaram enquanto lá estiveram as pessoas certas. Depois estranharam-me, sem que as tivesse entranhado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Casas são a gente que as habita.

      Beijos, Carla. :)

      Eliminar