sexta-feira, outubro 23, 2015

Da ternura e da raiva

(Jack Vettriano)


Eu tenho raiva à ternura. Eu tenho raiva de ter raiva à ternura. 
Eu tenho a doença da ternura por ter raiva. Eu tenho tudo
excepto a ternura. Eu não tenho ternura e sofro de inveja de
quem tem ternura. Eu já só tenho raiva. 
Manuel Cintra




Eu sou terna, mesmo na raiva. Eu tenho raiva de ser terna na raiva.
Eu tenho o dom da cura da raiva por ser terna. Eu tenho tudo excepto a raiva. Eu não tenho raiva e sofro 
por quem a tem. Eu já só tenho ternura.

Maria Eu


29 comentários:

  1. A cada minuto que passamos com raiva, perdemos sessenta felizes segundos...

    Identifico-me bastante com o seu texto!

    Bom Fim de Semana, Maria!:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que te identificas, Legionário. :)

      Beijinhos e uma boa semana. :)

      Eliminar
  2. Eu se fosse o meu patrão contratava-te já. Há uma enorme falta de quem controle a raiva por aqui...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O teu patrão contrata cotas? :P :P

      Beijos, Uvinha linda. :)

      Eliminar
  3. E que paz se obtém, quando se atinge esse estádio

    Boa tarde Maria TU

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paz. Esse é o objectivo primordial.

      Beijos, noname. :)

      Eliminar
  4. Também eu sou terna por natureza. Até na raiva. Mas também tenho a raiva. E, se calhar, tenho raiva de ter ambas as facetas, sei lá....

    Beijinhos e os meus agradecimentos pelas visitas lá ao meu "canto" (terno) mas cheio de picos....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será da profissão? ;) Professor tem que aprender que a raiva é má companheira...

      Beijinhos, Graça, (não tens que agradecer. descobrir amigos de amigos é bom)

      Eliminar
  5. ~~~
    ~ A raiva é péssima companhia e pior conselheira.

    ~~~Ternuríssimo e excelente fim de semana. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dá azia, não é? :)

      Beijinhos, Majo, e uma terna semana. :)

      Eliminar
  6. Há medida que fui entrando anos adentro, amaciei a raiva.
    Dela, faço hoje encenações habilidosas, estudadas, nada temperamentais
    Ternura? Com o passar do tempo, tenho-a (e uso-a) cada vez mais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vantagem do amadurecimento. O uso da ternura dá-nos qualidade de vida.

      Beijinhos, Rogério. :)

      Eliminar
  7. É esse o melhor caminho, querida Maria.
    No entanto, a raiva, se for "disciplinada" e convertida em criatividade, tem muito potencial...

    Um beijinho terno :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito útil, sem dúvida, essa reconversão! :)

      Beijos, terna Miss Smile. :)

      Eliminar
  8. Ai que raivaaaa!!!!
    Beijinhos, Maria Eu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tempera-a com ternura!

      Beijinhos, Observador. :)

      Eliminar
  9. Chama-se a isso dar a volta ao texto. E bem
    Ternura é uma palavra tão bonita
    Bj Maria

    ResponderEliminar
  10. Eu também tenho os meus momentos "raivosos" mas ...como tenho as vacinas em dia lá me vou controlando :)))
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eheheheheh. Tomar as vacinas certas é sempre bom. :)

      Beijos, papoila. :)

      Eliminar
  11. Com o passar dos anos deixei a raiva dar lugar à ternura, por perceber que a primeira só desgasta.
    Gostei muito do texto!

    Bjs!
    Manu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A idade traz-nos essa capacidade.
      Obrigada!

      Beijos. :)

      Eliminar
  12. A vida traz ternura quando ela já existe em nós :)
    A tua sente se Maria :)
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também se aprende, I.
      Obrigada. Muito.

      Beijos. :)

      Eliminar
  13. Com ternura se mata a raiva.
    Concordo com a Imprópria, a tua ternura sente-se nas tuas palavras. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ternura é bela.

      Muito obrigada, GM.

      Beijos. :)

      Eliminar
  14. A raiva é uma reacção primária ou "universitária", muito humana. Mas tem custos para o próprio (uma maçada ou massada - depende do estado a que se chega no final da contenda.
    É um previlégio ser-se ternurento (sem derramamento de melaço). É difícil de ser-se ou de encontrar-se pessoas assim.
    A Maria confessa-se. Pelo desenrolar do lençol, de linho, clarinho / carinho que vai por aqui, é. Chegado a este ponto, pronto, nomeio-a Nobel da ternura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohhhhhhh! :))) Assim, fica difícil não derramar um pouco de melaço!
      Obrigada, Agostinho, muito!

      Beijinhos ternurentos. :)

      Eliminar