segunda-feira, maio 13, 2019

Caminho(s)



(Robert Mapplethorpe: Flowers - Artsy)

Havia tempos que Maria Inês começara a afastar-se. Não encontrava explicação para essa ânsia de se libertar da presença do outro. Era como se apenas se aquietasse no exílio. 
Ia-se perdendo num caminho longo, surda a palavras que não as que guardava no pensamento.
José olhava-a em desassossego, sem que soubesse como alcançá-la, até que iniciou um caminho longo para se encontrar com ela na sua solidão.



(Asaf Avidan -Small Change Girl)

34 comentários:

  1. Brilhante publicação :))

    Hoje :-
    Existem sussurros na brisa.


    Bjos
    Votos de uma óptima Segunda - Feira

    ResponderEliminar
  2. Ele há coisas!... esta manhã percebi que a única forma que conheço de encontro entre pessoas só pode ocorrer na solidão de cada um. :)

    ResponderEliminar
  3. (...) "as" palavras (...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não. A frase é "(...)surda a palavras que não as que guardava no pensamento".
      Ela é surda a palavras que não estejam guardadas no seu pensamento, não são as palavras que são surdas.

      Eliminar
  4. "There's a suggestion of death, of Mapplethorpe's own mortality." Shortly before he died, the artist sent his friends copies of a photograph of wilting tulips in a black vase."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. There could be such an interpretation as the tulips are kind of fainting. However, the stalk and the flower itself seem healthy, only in search of a certain (unusual) direction.

      Eliminar
  5. releia o texto, vai reparar que falta um "s"
    "as palavras"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Releia o senhor e interiorize o contexto, sff, Anónimo.

      A frase está correctíssima: " Ia-se perdendo num caminho longo, surda a palavras que não as que guardava no pensamento."
      Pensaria que a autora queria dizer "às palavras?"...haja santa paciência!

      Peço imensa desculpa Maria Eu, por me intrometer em casa alheia, mas gosto de a ler e já andava a rebentar pelas costuras, com estes reparos sem razão nem fundamento...ainda que os houvesse...olha agora!
      Bom fim-de-semana e as minhas desculpas, uma vez mais.

      Eliminar
  6. Isto já são Marias a mais prá minha camionete. São primas pelo menos? :)

    Já dizia o meu filosofo preferido, não há passos divergentes para quem se quer encontrar

    quem não quer, o melhor mesmo é que cada um vá à sua vida


    A musiquinha não conhecia, e já está na minha lista para sempre

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Asaf Avidan, Luís.
      não sabes quem é, mas é impossível mesmo.
      :))

      Eliminar
    2. Mais a Maria, eu! :))
      Uma jóia, Asaf Avidan, mesmo!

      Eliminar
  7. O encontro de dois solitários costuma dar grandes resultados ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caminhos paralelos que, ainda assim, se encontram.

      Beijinhod, Pedro:)

      Eliminar
  8. As palavras e a canção a combinar na perfeição
    e até percebo como o José foi ao encontro da Maria Inês,
    ele na sua solidão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um passo solitário atrás de outro, combinando duas solidões ou, quem sabe, resgatando ambos da solidão .

      Beijos, KK :)

      Eliminar
  9. Com certeza acabam por se reencontrar.
    Bonito Maria.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo jeito da curva, certamente se reencontram.

      Beijo, GM, e obrigada! :)

      Eliminar
  10. Maria
    Muito Obrigada por teres sido sempre uma fiel leitora
    dos meus blogues.
    Beijinhos e bom fim de semana
    KK

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez nem saiba que são todos teus. Apenas gosto de os ler! :)

      Beijo e bom Domingo

      Eliminar
  11. A solidão é sempre a nossa fiel companheira...
    Bom sábado!

    ResponderEliminar
  12. Só podem reencontrar-se nessa solidão procurada por ela e entendida por ele… Um texto muito belo e cheio significado.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma alma ao encontro da outra.

      Obrigada, muito, Graça

      Bom Domingo e um beijo .

      Eliminar
  13. "José... com ela na sua solidão. "
    Desconfio que "sua" dele é dela. Se assim for o estado da solidão é perfeito por haver um vazio total. Os dois com os pés dentro com vontade de pintar as paredes de cores transparentes e quentes que os eleve e leve até à exaustão da felicidade. Onde? Em qualquer cidade, em qualquer chão.
    Isto aqui há sempre uma leitura com emoção.
    Um beijo, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que coisas bonitas dizes, Agostinho!

      Muito obrigada e um beijinho

      Eliminar