quinta-feira, dezembro 11, 2014

O êxtase do Amor


(Santa Tereza de Ávila, óleo francês do séc. XIX) 

Toda me entreguei, sem fim,
e de tal sorte hei trocado,
que é meu Amado para mim,
e eu sou para meu Amado.


Santa Tereza D´Ávila


(pormenor da escultura O êxase de Santa Tereza, de Gian Lorenzo Bernini)


O Amor desmedido de Tereza por Deus, numa dedicação imensa que, para além de espiritual, se torna perceptível como carnal, entre delírios e êxtases.


                                                 

16 comentários:

  1. Escreveu as mais belas declarações de amor de que há memória.

    ResponderEliminar
  2. Lindas palavras do amor excessivo de Tereza por Deus.
    Adorei.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Uma outra forma de amar a vida. E tão bela que é.

    Beijinhos, Maria! :-)

    ResponderEliminar
  4. Majestoso Bernini... Não são apenas as imagens que valem mais que mil palavras... Mas toda e qualquer (superior) expressão artística.

    Beijo Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Eros! A Arte vale por si, sem necessitar de elogio. Bernini deixa-nos sem palavras, aliás!

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  5. Há coisas da inocência
    esquecidas no amor
    inatingiveis por mãos
    percetivelmente puras
    por fé e pura magia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fé. Algo que gostaria de ter.

      Beijinhos Marianos, Agostinho! :)

      Eliminar
  6. Lá vou ter que me confessar... :)
    Hoje, já é a segunda vez que "tropeço" nesta santa, a primeira foi no "Comboio Nocturno para Lisboa", livro que estou a ler e que considero fascinante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também li o livro. Falta-me ver o filme!

      Beijinhos Marianos, Rui! :)

      Eliminar