quarta-feira, setembro 23, 2015

Mil e uma noites

(daqui)



"O amor é profundo e faz eco"

As Mil e Uma Noites, de Miguel Gomes, não é um filme sobre o Amor. Ou, então, talvez seja, por ter Portugal no centro de todas a histórias, por contar como somos, como estamos, o que fizeram de nós.


14 comentários:

  1. Estamos ainda caindo
    ou já ecoam os efeitos da queda?

    Fui ver o trailer
    talvez a resposta só venha no filme

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Começa nos estaleiros de Viana do Castelo. Ias gostar, Rogério!

      Beijinhos. :)

      Eliminar
  2. Se passar aqui em Macau até irei ver.
    Mas tenho poucas esperanças que passe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verás deppis. Estou certa de que irás gostar!

      Beijinhos, Pedro. :)

      Eliminar
  3. Sou suspeita em falar do Miguel Gomes. Para mim um dos realizadores portugueses de que mais gosto.
    Como ninguém, Miguel Gomes tem uma maneira muito diferente de contar histórias, não só pela narrativa, mas pelas histórias que quer mostrar.
    Nas Mil e uma noites, ele mistura o real e o imaginário e retrata um Portugal com um humor fora do vulgar.
    O 2º volume estreia esta 5ª, O Desolado :-))))
    Bjs Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale a pena!
      (já tenho bilhete para os dois próximos) :)))

      Beijinhos, ars. :)

      Eliminar
  4. Miguel Gomes explicou que uma das razões que o levaram a criar "As mil e uma noites" foi "querer fazer um filme em que a ficção é muito assumida e é quase delirante".
    "Para contrapor à má ficção que é a mentira dos políticos que fazem de conta que tudo está bem. E essa é a má ficção, porque é a ficção que se finge real, que se tenta passar pela real. A boa ficção só pode ser a ficção que se assume como ficção, não quer mentir", disse.

    Falou e disse muito bem, Maria!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Esta nossa realidade até dói!

      Beijinhos, Legionário. :)

      Eliminar
  5. De Miguel Gomes só ainda vi "Aquele querido mês de Agosto" e gostei muito!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este trio de filmes é para estômagos que se revoltam com o Portugal que temos.

      Beijinhos, Jorge. :)

      Eliminar
  6. Não vi. Pelo andar da carruagem 1001 noites são poucas pois ao povo português não há fermento que o levede. Para desgraça de todos parece que o dito popular "quanto mais me bates mais ..." está para lavar e durar.

    Bj, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem quero acreditar que assim será, Agostinho!

      Beijinhos. :)

      Eliminar
  7. Não posso opinar sobre o filme porque não vi. Mas ouvi a tua banda sonora e gostei MUITO.
    Beijo, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um filme muito pertinente, Isabel.

      Beijos. :)

      Eliminar