sexta-feira, setembro 18, 2015

Elegia



(Hisano Hisashi - 1939)


Elegy for the Living


We wash up side by side
to find each other


in the speakable world,
and, lulled into sense,


inhabit our landscape;
the curve


of that chair draped
with your shirt;


my glass of  water
seeded overnight with air.


After this bed
there’ll be another,


so we’ll roll
and keep rolling


until one of  us
will roll alone and try to roll


the other back — a trick
no one’s yet pulled off — 


and it’ll be
as if   I dreamed you, dear


as if   I dreamed this bed,
our touching limbs,


this room, the tree outside alive
with new wet light.


Not now. Not yet.

 KATHRYN SIMMONDS





Elegia aos vivos


Lavamo-nos lado a lado
para nos encontrarmos

no mundo dizível
e, embalados até à percepção

habitamos a nossa paisagem
a curva

daquela cadeira drapeada
com a tua camisa

o meu copo de água
insuflado com ar durante a noite.

Depois desta cama
haverá uma outra

e assim rodamos
e continuamos a rodar

até que um de nós
rode sozinho e tente rodar

o outro de volta - um truque

que ninguém conseguiu, ainda -

e seria
como se eu te tivesse sonhado, querido, 

como se eu tivesse sonhado esta cama

os nossos membros tocando-se

este quarto, a árvore lá fora, viva
na luz recente e húmida.

Não agora. Não ainda.

KATHRYN SIMMONDS, traduzida por Maria Eu

8 comentários:

  1. Querida Maria Eu,
    Que bom. Rodar o outro de volta...
    Bom fim de semana,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rodar, rodar, rodar! :)
      Bom fim de semana para si, também.

      Beijinho, caro Ente. :)

      Eliminar
  2. Para além de escritora és uma excelente tradutora...

    ResponderEliminar
  3. Rodemos para que volte nem que seja em sonhos. Beijos Maria :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rodar, como se girando num carrossel! :)

      Beijos, GM. :)

      Eliminar
  4. Há intermitencias no dar
    No rodar
    Mais uma volta no andar
    Será que volta?

    ResponderEliminar