terça-feira, dezembro 10, 2013

Do AMOR do avesso


(Dora Brateli)


No meu poema ficaste
de pernas para
o ar
(mas também eu
já estive tantas vezes)

Por entre versos vejo-te as mãos
no chão
do meu poema
e os pés tocando o título
(a haver quando eu
quiser)

Enquanto o meu desejo assim serás:
incómodo estatuto:
preciso de escrever-te
do avesso
para te amar em excesso


Ana Luisa Amaral, in «366 poemas que falam de amor»


6 comentários:


  1. O Amor nunca é demais, no Amor nada é excesso... pode-se é pecar por avareza... E isso sim, é mesmo pecado!


    Beijinhos sem pecado
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Amor tudo permite!

      Beijinhos Marianos, Afrodite! :)

      Eliminar
  2. Há pássaros que voam com os pés no chão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Voam de qualquer maneira. :)

      Beijinhos Marianos, MA! :)

      Eliminar