segunda-feira, dezembro 16, 2013

Desejo

O desejo do corpo é entrar em si mesmo
e de onda em onda ser uma onda só
que se liberta de todas as amarras
e abre as suas rígidas comportas

Longo subtil e macio é esse gozo
de um túmido movimento que desagua no delta
da nudez extrema em que o corpo encontra
o seu próprio corpo como se fosse um outro

A palavra não pode encontrar-se a si mesma
como se fosse de si mesma outra
porque ela não é um corpo e mesmo quando se despe
a sua nudez é só o anúncio de um corpo inatingível

António Ramos Rosa 

                                       (Angélina Nové)



6 comentários:

  1. Já estava "nua" antes de se entregar! (assim, pelo menos)

    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente!

      Beijinhos Marianos, je suis...noir! :)

      Eliminar
  2. Mais me pareceu um tímido ensaio masturbativo... quase envergonha e à espreita, entre uma brecha que quase se abre e o corpo aberto, em si fechado!...



    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poderia ser uma abordagem tímida de um corpo onde mora uma alma apaixonada...

      Beijinhos Marianos, A.!

      Eliminar
  3. Nunca estamos nus
    mesmo quando nos despimos
    por dentro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há sempre um véu, ainda que transparente.

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar