terça-feira, novembro 06, 2018

Presença


Existia um lugar, para lá do horizonte, onde a ausência era nada mais do que a reescrita de cada momento no avesso do corpo, na nudez da alma.
Era aí que se transformava em presença.


24 comentários:

  1. Respostas
    1. Do horizonte que encima o mar, também azul...
      Obrigada!

      Beijinho, MA :)

      Eliminar
  2. De não ausente
    a presente

    lá, para lá do azul
    cor em que o horizonte
    se desenha, sempre

    ResponderEliminar
  3. Sempre uma beleza excepcional nos textos com que nos presenteia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Pedro! Pelas palavras e pela gentil presença!

      Beijinho :)

      Eliminar
  4. É preciso desnudar as vestes da mente, as vestes da alma.
    Bom dia, Maria:)

    ResponderEliminar
  5. Once again
    Your morning post hypnotizes me.
    That beautiful studio quintet performance
    (I love the tight close ups. So intimate.)
    Matched with that beautiful art.
    Your taste is so beautiful.
    I am smitten.
    Sweet kisses.
    😘

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. Obrigada, KK! Eu sinto o mesmo em relação ao que escreves!

      Beijo :)

      Eliminar
  7. Magníficas palavras. Como sempre, aliás.
    Maria, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. Maria Eu, sou mais tu
    Quando mostras sentimento
    Que sinto e às vezes lamento
    Não ter o espírito nu!

    Como o tens, feito a um caju
    Com sua semente ao vento
    Arejada em pensamento,
    Não na toca qual tatu.

    Parabéns pela mensagem!
    Recebo uma nova aragem
    De tua alma linda e nua

    E eu na nudez do sonho
    Novamente me proponho
    Seguir a imagem tua!

    Grato pela partilha! Parabéns pela postagem! Grande abraço! Laerte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Laerte poeta, agradeço as palavras gentis e tão bem rimadas!

      Beijinho :)

      Eliminar
  9. "Para lá do horizonte" podemos ser o que quisermos… Belíssimo texto.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  10. A Judy Garland cantava o "Somewhere over the rainbow", o que na prática é isso também, ficar a olhar para lá do horizonte, para lá do que se vê... where the river goes.
    Também eu olho nessa mesma direcção e desejo ser barco para seguir o rio... até à foz.
    Gostei muito do tema musical que escolheste.

    Beijinhos sempre presentes
    (^^)

    ResponderEliminar
  11. Boa noite, Maria Eu.

    Já inha vislumbrado o paraíso,
    (este)
    mas esqueci-me de agradecer
    o flashe iluminante
    Imaginar é urgente
    e cérebro onírico e
    cristalino transparente

    Vire-se o avesso
    tirem-se-lhe os alinhavos
    um a um e
    ao próprio avesso
    ausente-presente

    Bj.

    ResponderEliminar