domingo, maio 06, 2018

Sem palavras

(imagem daqui)

A palavra teimava na reclusão. Apoucava-se na oralidade fácil, qual romance de cordel. Enrolava-se em saudações rápidas, ordens incisivas e curtas, perguntas inopinadas. Sem que se desse conta, os dedos deixavam de desenhar as letras, de somá-las, uma a uma, contando enredos de histórias imaginárias, de vidas outras, de sonhos (des)feitos. 
Disseram-lhe que o tempo delas, das palavras grávidas de sentido(s), estava a acabar e ela acreditou, olhando com tristeza os dedos secos de tinta sombreando o papel imaculado de tão branco.



Uns sufocavam de palavras, ela, da falta delas.


24 comentários:

  1. Bom dia. Bonito texto. Adorei :))

    Hoje:- {Poetizando e Encantando.} Mãos que nos guiam em voos de ternura .

    Bjos
    Votos de Bom Domingo (Feliz dia da Mãe)

    ResponderEliminar
  2. Palavra puxa palavra, uma ideia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução, alguns dizem que assim é que a natureza compôs as suas espécies...

    Bom Domingo, Maria:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizem que sim, caro Legionário! :)

      Beijinhos, uns Domingos depois. :)

      Eliminar
  3. Ai de nós quando se nos secarem as palavras...
    Belo(s) texto(s) os da Maria!

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Arredias, as danadas!

      Beijos e muito obrigada, Graça. :)

      Eliminar
  4. Que nunca seque a tinta, que nunca falte o papel, as palavras virão sempre.

    ResponderEliminar


  5. e não precisamos apenas
    de palavras dirigidas à alma,
    que nos arrepiem a pele, que nos emocionem…

    precisamos de palavras-adubo,
    palavras-semente,
    precisamos sobretudo,
    de ideias.



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De ideias, de inspiração, de nos livrarmos do cansaço dos dias...

      Beijinhos, Rogério :)

      Eliminar
  6. cenário que a existir, nos fará mergulhar numa escuridão que nos deixará órfãos de sílabas e sons preciosos.
    bom domingo, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser pelo atraso da Primavera em mostrar-se!

      Beijos, Mia :)

      Eliminar
  7. Falta de palavras depois de um escrito destes??
    Boa semana

    ResponderEliminar
  8. A página em branco: a angústia de qualquer escritor.
    Um excelente texto!
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fosse eu escritora e não escreveria... Andam arredadas de mim, as palavras.

      Beijos,Graça, e muito obrigada! :)

      Eliminar
  9. Falta de palavras num texto fabuloso..
    Beijinhos,
    https://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ana, pela visita e pelas palavras!

      Beijos :)

      Eliminar
  10. E quando há o cansaço das palavras?
    Mortas de cansaço dizem ainda: vai dormir...ainda não
    estás cansada das palavras?
    Desabafos.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São duras, por vezes, essas danadas das palavras!

      Beijos, KK :)

      Eliminar
  11. Quando as palavras faltam
    ficamos em branco
    a falar por gestos
    belos textos como o seu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou os que encontramos no blog do Mar Arável! :)))

      Beijinhos, MA :)

      Eliminar
  12. Sem palavras fiquei
    dependurado num arame,
    e nem sei se dúctil cobre
    ou luminosa fibra. Não sei...
    Mas sei, tenho na ideia,
    duas vezes me aventurei
    em garatujos costumeiros
    e nada restou,
    partido ou inteiro
    Eu tinha gostado do que vi,
    pensei e escrevi, Maria.

    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E como é bom ver-te desequilibrar e cair num texto!

      Obrigada, Agostinho!

      Beijinhos :)

      Eliminar