sábado, fevereiro 06, 2016

AMOR


Sentam-se na fila da frente, carruagem 4, lugares 71 e 73. Falam a meia-voz. Ainda assim, é inevitável ouvi-los. 
Risos. "Já viste esta? É por isso que adoro esta revista!" Uma espreitadela por entre os dois lugares permitia ver a capa da "Maria". "Deixa-me ler em paz. Esta história de amor é linda!" "Posso ler depois?" "Podes, claro!" 
A sério?! A "Maria"? Há um certo sentido de superioridade intelectual a fazê-la desdenhar daqueles dois. Revista de má qualidade, com textos de péssimo gosto, conhecida pelas páginas de resposta a cartas dos leitores do mais ridículo que se possa imaginar. Mas depois observou aquele rapaz e aquela rapariga pela nesga rasgada entre os bancos. Ele a beijar-lhe a testa, a ternura na mão dela a acariciar a dele, o cuidado dele a ajeitar-lhe a cabeça no ombro quando ela queria espreitar uma página, a preocupação de ambos em nunca deixar escorregar o casaco que lhes cobria os joelhos, não fosse o outro ter frio... Desdém? Era AMOR. Que importa o que liam? De repente, foi inveja o que sentiu daqueles dois.

34 comentários:

  1. Existe no amor todo um cuidado que prevalece. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O amor é sempre o amor. Terno e doce.

      Beijos, Castiel :)

      Eliminar
  2. Dos pantânos pútridos nasce o nenúfar e isso não se deve à literatura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, Luís, talvez seja a isso mesmo que se deve a literatura e não o contrário.

      Beijinhos :)

      Eliminar
  3. As melhores prova de amor são as mais simples!;)

    Bom fim de semana, Maria:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A melhor prova de amor é amar. :)

      Beijinhos, Legionário :)

      Eliminar
  4. O amor é assim, espontâneo e simples.
    Por vezes perdemos por conta da nossa assoberbada exigência.
    Beijinho Maria. Gostei do teu testemunho e da tua constatação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Sandra!
      Muito obrigada!

      Beijos :)

      Eliminar
  5. O amor é sempre mais forte do que qualquer outro sentimento! Haja amor sempre e muito para darmos!
    Um beijo grande

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. Simples, complexo, assim é o amor.

      Beijos, I :)

      Eliminar
  7. Mas isso do amor não é só para a semana? :))

    Está terno Tutu, como só assim pode ser o amor.

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é! Caramba! Adiantei-me, Snowy! :D

      Beijos com ternura :)

      Eliminar
  8. O que importa o resto se é amor? Beijinho :)

    ResponderEliminar
  9. A revista é uma coincidência pois o amor percorre transversalmente todos os extratos sociais.
    Poder-se-á dizer é que a sofisticação é um risco no momento da verdade se algum dos atores não estiver no seu papel.
    Bom domingo, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que o amor é transversal! Haja quem o cumpra! :)

      Beijinhos, Agostinho, e boa semana. :)

      Eliminar
  10. Independentemente do que se lê, o que importa é amar. :)

    ResponderEliminar
  11. Vivemos com tantos preconceitos, Maria, todos nós, de uma forma ou de outra. E esquecemo-nos do que realmente é importante.

    Beijinhos, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afinal, é tudo tão mais simples...

      Beijos, Ava :)

      Eliminar
  12. ~~~
    Acasalamento, paixão e amor

    precederam a intelectualidade...

    Estes combinavam...

    ~~~ Excelente semana, ME.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo! :) Sê bem regressada! (não tens blog, pois não? procurei chegar a ti e não consegui)

      Combinavam, pois.

      Beijos e uma boa semana :)

      Eliminar
  13. eu também era capaz de sentir um nadinha de dor de cotovelo. afinal, a delicadeza de cada gesto, não estava escrito na secção de perguntas e respostas.
    boa semana.
    um beijinho,
    Mia

    ResponderEliminar
  14. de facto, dava telenovela, em "prime time"...


    que lindo é o Amor!..."simplesmente, Maria!"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Radionovela "simplesmente Maria"! :) O que foste recordar! A minha mãe ouvia-a. :)

      Beijinhos, Herético :)

      Eliminar
  15. Bem, venho aqui deixar uma nota discordante. Eu acho que o amor não vale todo o mesmo e que a validade proporcional à inteligência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez não valha o mesmo para quem observa mas para quem ama, seja mais ou menos inteligente, mais ou menos culto, o amor é envolvente, terno, excitante, uma dádiva igualmente intensa e valorosa. Afinal, o amor vale sempre o que vale quando há dois amantes. O que importa é amar e ser amado.

      Eliminar