domingo, fevereiro 21, 2016

A menina de seu pai

(John Quidor)


Olha-o no fundo daquele olhar doce e antigo, onde as memórias retêm o seu cabelo loiro de caracóis e os sapatos de verniz de Domingo com as meias brancas, rendadas, pelo joelho, eivada de uma ternura infinita. Hoje, como ontem, pese embora já não ter caracóis e o cabelo precisar de avivar a cor de quando em vez, ainda, sim, ainda é a menina de seu pai.


30 comentários:

  1. I love your taste in art.
    I love your taste is music.
    Very thoughtful, very beautiful.
    (I like that you like what I like.)
    I like following you!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Thank so much, Rick! I'm glad you like my posts.

      Eliminar
  2. ~~~
    Excelente post,

    não só pelos valores culturais que evoca,

    como também pelo esmerado bom gosto.

    ~~~ Beijinho, ME ~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  3. Assino por baixo os comentários anteriores !!!
    Que mais acrescentar, Maria Eu ? ... Adorei !!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Rui. És pai, sabes como funciona!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  4. Disto, que sou pai e filho, diria:
    a leveza dos anjos,
    a simplicidade do sublime,
    a inteligência de Maria!

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É amor filial, Agostinho.
      Obrigada!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  5. Há coisas que resistem à erosão do tempo!

    (belo, este momento)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O amor filial e paternal superam tudo.

      Beijinhos, Rogério, e obrigada :)

      Eliminar
  6. Nem que passem cem anos. Será sempre a menina de seu pai. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos todas, meninas, mulheres, sempre as meninas de nossos pais.

      Beijos, GM :)

      Eliminar
  7. felizmente os pais (ainda) existem... apesar de tudo!

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existirão sempre, estou certa!

      Beijinhos, Herético :)

      Eliminar
  8. Somos sempre as meninas do papá... (e o meu partiu há quase 50 anos...)

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  9. São sempre.
    É isso que digo às minhas filhas.
    A mais velha faz 18 anos no próximo mês.
    Mas são sempre as minhas meninas.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  10. Maria, gostaria de adormecer hoje e pensar que actualmente todos os filhos são para os pais, como eu fui e ainda sou protector com os meus pais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era bom que os jovens de hoje fossem iguais a nós e tratassem os pais, mas infelizmente acho que a nossa geração vai ser a última que tem essa preocupação.

      Eliminar
    2. Sou mais optimista. Tenho um filho que cresceu nos valores do amor aos pais. É terno e cuidados com os meus pais. Acho que o será comigo, também.

      Beijinhos, Nina, e bem-vinda. :)

      Eliminar
    3. Adormeçamos tranquilos, Legionário. Ainda há muitos jovens com valores!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  11. Onde estão os teus caracóis?

    - Foste tu quem mos roubou, de manhã, quando me acordavas para ir para a escola.

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Meninice...

      Beijinhos, Ness. Bom ver-te aqui! :)

      Eliminar
  12. Deu-me tantas saudades do meu pai!
    A minha sorte é agarrar-me às minhas filhas!!
    Um Bj Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino, ars... Aproveita muito as tuas meninas!

      Beijos :)

      Eliminar