domingo, novembro 01, 2015

Chá de rooibos e torradas


Maria Eduarda já não pensava naquela coisa absurda da paixão. Os anos tinham-na amadurecido o suficiente para saber que nada substituía a calma dos dias de Outono, com um chá de rooibos e uma torrada numa mesa de esplanada, junto ao mar, acompanhados por um livro e Chet Baker no headphones.
Até ao dia em que José tropeçou na cadeira que ela arrastara levemente do sítio original para esticar as pernas. Não sabia explicar se fora a voz em tom meio atrapalhado, se o olhar franco, se o toque inesperado de uma mão... Sabia, apenas, que nada foi igual dali para a frente. 
Esboça um sorriso terno, sentada na mesma esplanada, com a imensidão do mar no olhar, pensando para com os seus botões que nada do que se toma por certo é definitivo e que a paixão, afinal, para além de não se esquivar de surgir em qualquer sítio, também perdura para além do pouco tempo que lhe auguram.
Com um suspiro, bebe um gole de chá e retoma o livro que segura na mão direita, enquanto aperta a de José com a esquerda.

39 comentários:

  1. Maria, a voz da paixão é melhor do que a voz da razão. Quem não tem paixão não pode mudar a história…

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. DE fazer tremer! :)

      Beijinhos, Legionário. :)

      Eliminar
  2. Maroto, sempre a pregar partidas, o Cupido. :)
    Um beijinho, Maria.
    Bom Domingo.

    ResponderEliminar
  3. Que momento maravilhoso, Maria, até me vieram as lágrimas tona :)
    Fica um beijo e um abraço de coração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Sandra! Uma história feliz.

      Beijos e um abraço igual ao teu. :)

      Eliminar
  4. Há momentos que nasceram, para se eternizarem, noutros momentos...

    Boa tarde Maria TU

    ResponderEliminar
  5. Quando menos se espera... o amor acontece :) Beijinho Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse malandreco itinerante! Será ciclista? ;)

      Beijos, GM. :)

      Eliminar
  6. Paixão! Mesmo muito breve é um grande acontecimento na vida de uma pessoa :)))
    bjs

    ResponderEliminar
  7. Foi só um pequeno tropeção e afinal, veja-se no que deu. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deu numa bela história! :)

      Beijos, Luísa. :)

      Eliminar
  8. Tenho a impressão
    que não é bem a isso que se chama paixão

    talvez amor
    (seja lá isso o que for)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser bom, seja uma ou outra coisa. A Maria Eduarda que o diga!

      Beijinhos, Rogério. :)

      Eliminar
  9. Com Chet Baker... Infalível!
    Normalmente, quando se deixa de procurar, de pensar tanto no que desejamos, é que encontramos. A desfocagem pode permitir-nos ver mais largo e longe.
    Boa semana, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há quem tenha esse golpe de sorte, sim. E o Chet é "aquela coisa"! :)

      Beijos, Isabel. :)

      Eliminar
  10. Respostas
    1. Pelo contrário, não achas, Delfim?

      Beijinhos. :)

      Eliminar
  11. O Chet Baker dá sempre um jeito à cadeira para que as pernas se distendam e as mãos se estendam.
    Que paixão, que amor, eu digo felicidade, para que a conjunção elementar acontecesse e a posterior conjugação se fizesse.
    Muito boa, a prosa, Maria. Ainda um dia gostava de ler o romance integral.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, Agostinho, tu valorizas em demasia estes pequenos textos! Mas agradeço do fundo do coração! :)

      Beijinhos. :)

      Eliminar
    2. Experimenta juntá-los, colá-los, harmonizá-los com trechos, como se estivesses a construir uma casa. Vais à sala, interrompes o tuque e dás um salto à cozinha ladrlhar...

      Eliminar
  12. Por vezes, basta um simples esticar de pernas :)

    Um beijinho, Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem prosaico, não é?

      Beijos, Miss Smile. :)

      Eliminar
  13. E num segundo encontramos a eternidade. Tão bonito este teu texto, Maria :)

    A paixão está mesmo ali ao virar da esquina, em todas as ruas da vida, em nós.

    Deixo-te um beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (obrigada. muito)

      Está à espera que a encontremos. Às vezes engana~se na morada e nunca aparece....

      Beijos, Castiel. :)

      Eliminar
  14. A paixão é intemporal! Tão bonito!

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que é intemporal.

      Beijos, Maria. :)

      Eliminar
  15. Sou o exemplo vivo de paixões que aparecem onde e quando menos se espera.
    Em Macau, em plena China.
    E já passaram 19 anos de vida em comum, 18 de casamento.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Pedro!

      Beijinhos e bom restinho de semana. :)

      Eliminar
  16. Das paixões às botas de montanha e mochila às costas pelos montes perdidos nada muda ao longo da vida, assim haja esplanadas à beira-mar e pernas para caminhar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim possamos fazer isso tudo!

      Beijinhos, Ness. :)

      Eliminar
  17. Roibos, o meu preferido :)
    Bom gosto, o da Maria Eduarda.

    Beijos, Mary :)

    ResponderEliminar
  18. O chá, esse líquido retemperador, temperando a paixão?
    Bom dia Maria Eu.
    um beijinho,
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um chá vai bem em qualquer ocasião. Gelado, no Verão e bem quente, no Inverno.

      Beijos, Mia. :)

      Eliminar
  19. Respostas
    1. Gosto disso! De te fazer sorrir!

      Beijos, Inês. :)

      Eliminar