quinta-feira, novembro 05, 2015

Porta

(Samuel van Hoogstraten)


Voltava àquela casa relutante. Vivera ali muitos anos felizes e saíra num dia triste de Inverno, quando tentara abrir a porta e a encontrou fechada, a mala pequena com alguma roupa encostada ao último degrau. Agarrara nos poucos pertences e partira, a cabeça a borbulhar na procura de uma solução, as lágrimas em catadupa. Sabia que podia acontecer. Julgava não haver coragem para o fazerem. Escolhera amar uma mulher mal-querida na aldeia. Joana era casada, mais velha 12 anos do que ele. O marido partira há muito de casa e nunca mais dera notícias. Amava-a e não o escondera. 
- Um dia. Um dia, chegas a casa e tens a mala à porta!
Aquele fora o dia.
Entrou pela mesma porta que lhe tinha sido fechada usando a chave que o advogado lhe fizera chegar. E, virando-se para trás, chamou:
- Vem, Joana, podes entrar, já não mora aqui ninguém.


26 comentários:

  1. Uma porta não é um adereço
    é um instrumento de ida e de regresso
    sempre gostei de portas e afirmo
    a minha sempre ficou no trinco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja coragem para nunca as fechar.

      Beijos, Rogério. :)

      Eliminar
  2. A porta é um ponto de passagem, não um muro.
    Beijo, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso pode fechar-se para se voltar a abrir.

      Beijos, Isabel. :)

      Eliminar
  3. A porta é uma passagem para outra miragem. Olha Maria, entra aí e bebe um copito comigo. Senta-te e põe-te à vontade. Mi casa es tu casa. ;))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha porta também está sempre aberta, Uvinha.

      Beijos. :)

      Eliminar
  4. Admiro tanto as pessoas que arriscam, as que não se contentam com o possível quando o possível as torna infelizes. Admiro tanto as pessoas que não permitem que os outros usem as portas para as encurralar.

    Beijinhos, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Houve coragem, sim, Cláudia. Uma ruptura familiar é dolorosa.

      Beijos. :)

      Eliminar
  5. A dualidade da porta: saídas infelizes e entradas felizes ou precisamente o contrário: entradas infelizes com saídas felizes...o que interessa é que umas e outras sejam uma procura de felicidade.
    bjs

    ResponderEliminar
  6. Para sair, para entrar ou apenas para passar para algum lado. Dizem os que sabem, que nunca se devem fechar as portas... Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há portas fechadas que resguardam mas há aquelas que afastam e magoam.

      Beijos, GM. :)

      Eliminar
  7. Nunca se devem fechar portas, concordo, mas um dia o passar a porta significa o fim do que se quer deixar no passado.
    E a casa vazia é apenas um espaço de memórias.
    Beijinho Maria.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Franquear uma ombreira pode ser o fim ou o início .

      Beijos, SD. :)

      Eliminar
  8. Às vezes fecha-se a porta mas abre-se uma janela....
    Bfds

    ResponderEliminar
  9. Maria, a porta da vida está aberta e convida, pessoas com coragem para arriscar, a rir, chorar, trabalhar, se esforçar, amar, ser ouvido ou incompreendido, receber atenção ou sofrer uma desilusão, ser amado ou perder-se numa paixão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há muitas escolhas para uma porta só.

      Beijos, Legionário. :)

      Eliminar
  10. Quantas vezes a coragem não passa da escolha entre cortar a mão direita ou cortar a mão esquerda. E quão enganadores podem ser os dias felizes numa casa cheia, que se esvaziará num ápice. E amargo o regresso às paredes caladas.

    Beijinhos, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tantas histórias na porta de uma casa...

      Beijos, Ness. :)

      Eliminar
  11. Boa malha!
    Há gente que abre a porta para sair e para entrar ou para deixar entrar ou deixar sair e, depois, como dona da porta fecha-a a7 chaves . Vai inchando de confiança e tirania e, num lapso de bondade, deita a chave fora. Quando acorda tem a casa vazia e sem hipótese de passar pela porta vai apodrecendo de telhado destapado. Merece.
    Há coisas do camano, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A morte afastou os que fecharam a porta e fez regressar o exilado.

      Beijos, Agostinho. :)

      Eliminar
  12. Gostava de continuar a ler e saber o que irá acontecer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só para ti, Graça. :)
      O tempo afastou os amantes mas houve filhos a dar-lhes continuidade. A casa albergou crianças e nunca mais fechou a porta a ninguém.

      Beijinhos. :)

      Eliminar
  13. As portas são do pior, abrem-se e fecham-se para realidades que, nem elas muitas vezes, imaginam poderem acontecer!

    bfs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As portas com mais significado são as que existem dentro de nós.

      Beijinhos, Dark Heart. :)

      Eliminar