segunda-feira, julho 20, 2015

Completude


Primeiro foi o olhar, aliado à voz que esperara. Depois continuou a ser o olhar, aliado à voz que sabia. E foi o abraço, o beijo na testa a descer para as pálpebras, a parar na boca trémula e ansiosa. Foi o corpo a arder no outro corpo, perfeitamente síncronos na maravilhosa descoberta da completude das almas.





Beso

Cuando me asomé a tus labios
Un rojo túnel de sangre,
Oscuro y triste, se hundía
Hasta el final de tu alma.

Cuando penetró mi beso,
Su calor y su luz daban
Temblores y sobresaltos
A tu carne sorprendida.

Desde entonces los caminos
Que conducen a tu alma
No quieres que estén desiertos.

¡Cuántas flechas, peces, pájaros,
Cuántas caricias y besos!


Manuel Altolaguirre

16 comentários:

  1. A janela da alma abre-se no olhar que nos sabe mais do que tudo o resto.
    :)
    Muito bonito Maria
    Beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão bom, quando assim é...

      Obrigada, I. Um beijo. :)

      Eliminar
  2. Uma existência que recomeça mais completa quando o amor nasce...

    Um beijinho, Maria :)

    ResponderEliminar
  3. Sublime
    no limite
    entre a ternura e
    a sofreguidão
    da paixão

    Adoro janelas abertas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí reside a beleza, nesse limiar.
      (obrigada)

      As janelas querem-se assim, abertas à entrada da luz e à saída do olhar.

      Boa noite, Rogério. :)

      Eliminar
  4. Muito bom, Maria!
    Foto linda, a conjugar bem com as palavras.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Isabel. A foto é belíssima, de facto. Apaixonei-me por ela à primeira vista.

      Beijos. :)

      Eliminar
  5. De janela aberta,franca, luminosa, se consubstacia a fusão do par.
    Sem peias, sem teias.
    Bj .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Da janela aberta onde duas laranjas, perfeitamente simétricas, aguardam...

      Beijinhos, Agostinho. :)

      Eliminar
  6. A vida tem um colorido especial, principalmente quando o viver se faz a dois, na harmonia da união e do amor!...
    AbraçO

    ResponderEliminar
  7. Da poesia o que esperamos? exatamente isso Maria que o poeta se apaixone e dê forma e abrigo as palavras;
    _nessa bela sincronia.
    Gostei muito.
    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os poetas são uns sonhadores.
      Muito obrigada, Lis.

      Beijos. :)

      Eliminar
  8. Como dizia Fernando Pessoa: O Fim da arte superior é libertar...
    É o que os poetas e artistas fazem... libertação da mente; belo poema.
    Linda a arte da janela gosto muito de janelas.
    Prazer em conhecer.
    Janicce.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fantástica, a janela. :)

      Prazer, Janicce! :)

      Eliminar