quinta-feira, março 24, 2016

Pronuncio-te


(daqui)


Sacrilegio

Pronuncio tu carne
te haces verbo
entre mis labios
mis paredes en silencio
se guardan
esperan
que abras las ventanas

Descoses misterios
que nadie más escucha
y te quiebras en dos
revelando en ti
un universo entero
bajo la lluvia que soy
cuando caigo

Hay algo profano
en el vino tinto de tus venas
en el pan que como
antes de la comunión
de los espacios vacíos
que otros dejaron
pendientes

Nuestro tiempo no existe
pero él aún no lo sabe

Culmina el sacrilegio
volvemos a los cuerpos
que somos

Que San Pedro olvide mi nombre
ya no quiero salvarme


Eduardo Longa





Digo-te nas horas longas da insónia
Faço-te carne e sangue e gestos
Agitas-te em tropel nas minhas veias

Perdes-te nos caminhos do meu corpo
embriagado do perfume das magnólias
florescendo nacaradas no meu peito


Maria Eu

37 comentários:

  1. Excelente banda sonora para acompanhar esta cena divina.
    Páscoa feliz,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, caro Ente.
      Uma excelente Páscoa para si, também!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  2. I love your work.
    Great photo . . . wonderful lighting, tones, composition, pose.
    Great post.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. I wish it was my work. I just find beautiful photos/paintings, coordinate them with poems end write a few wordos of my own.
      Thank you, anyway, Rick! :)

      Eliminar
    2. This corrector makes the "and" into an "end"! :D

      Eliminar
  3. muito bem juntos, textos e música.
    beijinho Maria

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. Há mistérios que só alguns desvendam.

      Beijinhos, Rogério :)

      Eliminar
  5. :)

    Marota que tu és :) tens a qualidade da escolha de palavras demasiadamente visuais :)

    Beijo Tutu

    ResponderEliminar
  6. Pareces perigosa... deliciosamente perigosa.
    Beijo, Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não somos todos, de quando em vez?

      Beijos, Isabel :)

      Eliminar
  7. Quem se perdeu fui eu... com estas suas belas e sentidas palavras!

    Uma Páscoa muito doce é o que lhe desejo, Maria :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Legionário. Uma excelente Páscoa para ti, também!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  8. bonita escrita. a de Maria.
    bela dança,
    Uno

    ResponderEliminar
  9. Esta música é fantástica...

    Beijo, Maria!

    ResponderEliminar
  10. Não 5 mas sim 10 estrelas para este texto.

    Desejo-te uma Páscoa bem passada.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Observador!

      Beijinhos e uma Páscoa feliz. :)

      Eliminar
  11. Olá, Maria!
    Uma amêndoa. Torrada e coberta de chocolate.
    Saboreei. Retribuo.

    Perdi-me no som Sakamoto
    e nele pronunciei do rio
    o pulsar do vermelho
    nas margens do sonho
    (Forbidden colours)

    Incendiadas as casas
    à pele das transparências
    vejo no voo reflexo
    o articular sublime das asas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sakamoto tem a virtude de nos enlear...

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  12. Final em ogiva com dois versos soberbos. Beijos!

    ResponderEliminar
  13. Para não variar, gostei mais do teu, Maria Poesia :)
    Espero que tenhas tido uma Páscoa feliz.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, que querida!
      Tive, sim, Linda. Vi que estiveste a trabalhar. Ao menos que tenha valido a pena.

      Beijocas :)

      Eliminar