segunda-feira, março 07, 2016

Acordar


(Luísa, no blog À Esquina da Tecla)

Pisava vidros. Coloridos, os vidros, mas cortantes. Fora um tempo de escuridão, dizia. A dor no peito. Os pesadelos em que havia escadas, quedas, corpo estropiado a não deixar que saísse de casa. Não queria nada nem ninguém. Não se queria. Rastejou para fora do desespero a custo. Havia sempre comprimidos na mesa de cabeceira e as visitas tinham deixado de aparecer quando se cansaram dos olhos fixos num ponto qualquer para lá das suas cabeças e dos lábios cerrados. 
Fora num dia de nevoeiro, afirmava, tão denso como o que sentia a penetrar-lhe o corpo até aos ossos, que vira um pássaro ferido na asa direita a debater-se pela vida. Erguia-se nas patas frágeis e procurava o abrigo do arbusto que, reparara apenas nesse momento, explodia em flores rubras. Chegou lá precisamente quando o gato amarelo da vizinha saltou do muro, elástico e perfeito. Desde aí, ela acordava cedo para ficar na janela a seguir a recuperação do pássaro. Entreabria as vidraças e atirava-lhe migalhas de pão. Não tardava que  o convalescente mostrasse a cabeça e bicasse a dádiva. Primeiro devagar, depois, à medida que os dias decorriam, mais agilmente. Numa manhã soalheira, quando abrira a janela, lá estava ele, de pé no parapeito, olhando-a sem medo e num chilreio alegre que só ouvido!
Nessa tarde, perfumou-se, vestiu-se, maquilhou-se e foi passear.  

37 comentários:

  1. Nada como um ojetivo, um sentido na vida para a voltarmos a olhar de frente.

    Boa semana, Maria.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou o exemplo de como se pode superar uma luta considerada perdida.

      Beijos, Ava, e um dia bom :)

      Eliminar
  2. Um dia, algo nos mostra que a vida e o seu florescimento estão prontos para acontecer.
    E é tão bom ouvir e sentir Bach com Glenn Gould.

    Um beijinho, Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bach, assim, é como o pássaro, curativo.

      Beijos, Miss Smile e um dia feliz :)

      Eliminar
  3. Um passo adiante na convalescença deste pássaro, fez despertar e acordar o sentido da vida a quem andava “perdida”!

    Belo texto, Maria ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um pássaro-remédio. :)

      Obrigada, Legionário, e um beijinho :)

      Eliminar
  4. ~~~
    A imensa felicidade de salvar uma vida...

    ~~~~ Muito belo e terno, ME.

    ~~~~~~ Beijinhos. ~~~~~~

    ResponderEliminar
  5. Na vida tudo se move
    por necessidades
    até os pássaros

    Sempre um prazer chegar aqui

    ResponderEliminar
  6. Lindo!
    Já senti o mesmo, numa fase menos boa um dia ao abrir a janela da casa de banho lá estava um passarinho, gorducho, pequenino, uma bolinha aos saltinhos a olhar para mim...achei aquela visita um sinal de alegria!!!! Apareceu vários dias e nunca o esquecerei.bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, papoila!
      Vai-se a ver e os pássaros são anjos da guarda disfarçados!

      Beijos :)

      Eliminar
  7. Os pássaros
    só dão asas
    a quem as tem

    e voar, faz bem


    ResponderEliminar
  8. A "gota de água" que faltava para que renascesse :)

    ResponderEliminar
  9. Há pássaros que vêm ao paradeiro da gente. Apalavra-se uma saída e a felicidade pode ser possível sem máscaras nem enredos.
    Mas primeiro é mister obter-se confiança. E ir ao dentista para que o assobio não soe desdentado.
    Bonito isto, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Almas gémeas dos pássaros, as pessoas capazes de sonhar. Os sonhos são uma espécie de voo.
      (muito obrigada)

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  10. Quanta poca coisa é preciso para nos por de pé...
    Pouca coisa é preciso para reanimar alguém, às vezes apenas um sorriso...
    Que às vezes a alguns custam tão caro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito pouco, de facto.

      Beijinhos, Lourisvaldo :)

      Eliminar
  11. cativar (criar laços) tem um forte poder curativo :D
    beijos, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diria que é o curativo por excelência.

      Beijinhos, Stormy :)

      Eliminar
  12. Ela própria um pássaro ferido...
    Quando se recuperaram o voo foi simultâneo.
    Beijo, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Duas aves prontas a cruzar de novo os céus.

      Beijos, Teresa :)

      Eliminar
  13. Muitas vezes um simples motivo que faça sentir que vale a pena faz mudar tudo.

    ResponderEliminar
  14. Olá, Maria.
    Quando cá estive, não elogiei as flores do jardim: são lindas, cheias de cor a receber quem chega ;)
    Tão bom quando se consegue sobreviver, sarar feridas, e retomar a voz num canto de alegria.
    Bonito.
    bjn amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Carmem! É bom ter-te de volta!
      Voltar a voar...

      Beijos :)

      Eliminar
  15. Que lindo o teu texto, Maria. :)

    E nesse dia, ao ver o pássaro curado, ela voou. :)

    Deixo-te um beijo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Castiel. Tu és mulher-anjo, ela é mulher-pássaro.

      Beijos :)

      Eliminar
  16. que bom é recuperarmos o que é bom :)

    beijinho Maria

    ResponderEliminar