quinta-feira, dezembro 03, 2015

Ser ou não ser

(Francis Picabia)


Há uma clara distinção entre ser transparente e ser invisível. A transparência faz de nós seres mais directos e entendíveis ao passo que a invisibilidade nos torna inexistentes. O mesmo se passa relativamente aos seres opacos e aos seres densos. Enquanto os primeiros são um obstáculo à compreensão, os densos são um desafio à descoberta.
Existir requer densidade e transparência, por mais contraditório que se nos assemelhe.


Hoje, sinto-me mais invisível do que transparente.

30 comentários:

  1. É bom procurar ser transparente.
    Já invisível....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ser invisível só é bom nos filmes do Harry Potter.


      Beijos, Pedro. :)

      Eliminar
  2. daqui, vejo-te transparente, hoje, também, e densa.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso faz-me orgulhosa, Henrique! Obrigada!

      Beijos. :)

      Eliminar
  3. Maria, sou a favor da transparência, de gente de verdade, sem retoques, sem artifícios!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora a verdade possa doer.

      Beijos, Legionário. :)

      Eliminar
  4. A diferença entre ter a roupa transparente para se ver o corpo, e ter o corpo transparente

    A invisibilidade é a grande chaga dos tempos modernos
    https://www.youtube.com/watch?v=Ppe3VAU6qJc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existe-se e não se é visto. Tempos modernos muito duros, sim, Luís!

      Beijos. :)

      Eliminar
  5. Querida Maria Eu,
    Podendo, e em vez de ou.
    Bom dia,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sempre o e é fácil.

      Beijos, caro Ente. :)

      Eliminar
  6. Afinação de conceitos que faz falta.
    Deixo que me apalpem a transparência em modo q.b. Apenas um número muito restrito de pessoas me conhece na globalidade.
    E é preciso saber ser visível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cultivar a transparência de forma cuidada, sim.


      beijos, Isabel. :)

      Eliminar
  7. Então ... e os híbridos, Maria ?
    Ha-os por aí ,
    se repares na fauna,
    bons e filhos da mãe
    e há-os que disfarçam
    até muitíssimo bem

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São de evitar, esses ronhosos!

      Beijos, Agostinho. :)

      Eliminar
  8. Estou plenamente de acordo com o que escreveu. A vida é feita do equilíbrio desses conceitos que são, na verdade, apenas os lados opostos da mesma moeda.

    Um beijinho, querida Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a Miss Smile mostra isso tão bem!

      Beijos repenicados. :)

      Eliminar
  9. Por vezes até dá jeito ser "invisível" :)

    Opaco, nunca!

    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Já me senti invisível, transparente acho que não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Transparente no sentido em que nada ocultas, és aquilo que se pode ver.

      Beijos, Redonda. :)

      Eliminar
  11. ~~~
    Ser invisível por vezes dá jeito,
    no entanto, não sei ser amorfa, pelo contrário, sou muito participativa
    Como dizia um dos meus professores, tenho uma presença marcante...

    Nem sempre sou transparente,
    tenho um feitio reservado, aprecio a privacidade detesto a exposição
    descabida e desnecessária... Não quero dizer que sou dissimulada...

    ~~~ Beijinhos. ~~~

    ~ Benjamin Clementine, um músico transparente e muito original. ~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seres amorfos são pouco agradáveis.

      Beijos, Majo. :)

      Eliminar
  12. Hoje, sinto-me mais opaco que denso

    A sorte é que amanhã...

    ResponderEliminar
  13. Concretizaste e exemplificaste muito bem os conceitos que aqui nos trouxeste.
    A tua sensibilidade torna as pessoas mais suscetíveis a serem atingidas de foram mais agressiva, a ponto de não se sentirem parte integrante do meio social e afectivo onde se inserem.
    Gostei muito deste momento, Maria.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  14. Quando faço menção "a tua sensibilidade". A palavra tua está a mais. Desculpa Maria, estava a pensar uma coisa e escrevi outra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Sandra, pela tua sempre atenta leitura!

      Beijo. :)

      Eliminar
  15. Maria,

    o que eu gosto da tua densidade :) Só isso, por definição física, afasta qualquer possibilidade de invisibilidade :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ness, deixar-me sem palavras.
      Muito obrigada!

      Beijinhos e votos de boas pedaladas.:)

      Eliminar