domingo, outubro 26, 2014

Parto mas fico

 (Gennady Privedentsev)

Tempo  

O tempo é um velho corvo
de olhos turvos, cinzentos.
Bebe a luz destes dias só dum sorvo
como as corujas o azeite
dos lampadários bentos.

E nós sorrimos,
pássaros mortos
no fundo dum paul
dormimos.

Só lá do alto do poleiro azul
o sol doirado e verde,
o fulvo papagaio
(estou bêbedo de luz,
caio ou não caio?)
nos lembra a dor do tempo que se perde.

Carlos de Oliveira, in 'Colheita Perdida'




O meu tempo é, por agora, um sorvedouro onde me deixo enrolar, sem força anímica para emergir. O meu tempo é absurdo, por estes tempos. Talvez porque me falta, o tempo, seja tempo de dizer, não que parto mas que fico, aqui ao lado, a remar contra a maré.

 

22 comentários:

  1. Maria, o tempo que passa não passa depressa.
    O que passa depressa é o tempo que passou!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma semana a sufocar...

      Beijinhos Marianos, Legionário, apesar da trovada e da chuva! :)

      Eliminar
  2. Amiga, o tempo passa por todos
    com todo o tempo que tem
    O Tempo trás-nos tristezas
    Mas alegrias também!

    Só te resta esperar com paciência e fé
    Que o tempo não seja tão só um embuste
    É que o tempo trará uma nova maré
    Que os teus anseios não frustre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois passa, podia era ser menos stressante, o diabo do tempo!

      Beijinhos Marianos, cara "Maria"! :)

      Eliminar
  3. De que serve o tempo se todos os dias forem iguais?!
    Hoje estou amarga. Hoje o tempo podia deixar de existir.
    Beijo Maria dos Pink Floyd gosto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não tenho andado na melhor das disposições, Mafy!

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  4. O tempo
    não se aguenta
    contido, dentro
    de uma gaveta

    Que partas, desde que vás ficando

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São pequenas viagens mas sempre se regressa onde nos fazem sentir bem! O tempo é tramado mas vai-se lutando contra ele!

      Beijinhos Marianos, Rogério! :)

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Os olhos e o corpo inteiro.

      Beijinhos Marianos, MA! :)

      Eliminar
  6. O tempo foge e escorrega. Faz falta ter tempo para o tempo :)
    Beijinhos Maria :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o meu anda mesmo escorregadio, I!

      Beijinhos Marianos! (gostei da imagem sexy) :)

      Eliminar
  7. O tempo é irreversível e nada podemos fazer para o alterar !!
    Quadro, poema, música, e o teu texto, gostei !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De vez em quando podia dar-nos uma folga, o tempo, não achas?
      Obrigada!

      Beijinhos Marianos, Ricardo! :)

      Eliminar
  8. Nós é que inventamos o tempo e o moldamos ao nosso ritmo. O problema é que andamos quase sempre demasiado acelerados. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se andamos, Luísa!

      Beijinhos Marianos e bons passeios! :)

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Fico pois, nem que seja para pôr aqui uns poemas estranhos! Tenho é que ser menos assídua! :)

      Beijinhos Marianos, Uvinha! :)

      Eliminar
  10. Ir na corrente é mais fácil... mas isso não é para ti.
    :)
    Até breve!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, Rui, não é! :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  11. Querida Maria, espero que o teu remo se torne forte e possa virar essa maré.
    Ficam as saudades. Oxalá voltes depressa.
    Beijinhos e um abraço apertado. :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi só uns dias. A maré ainda não virou completamente mas está a começar a dar tréguas. :)

      Beijinhos Marianos dos repenicados, Susana! :)

      Eliminar