domingo, março 30, 2014

Procuro-te

caminho ao longo da noite
enxergando, enxugando uma espécie de felicidade.
na corrente vertical, emocional,
as horas escorrem devagar - a meu pedido.
numa chávena de água vejo um mar. no mar visto
o teu rosto, as tuas mãos
conquisto.
de mim para mim.
vim... vem também.
abro os olhos, vejo o mundo escuro,
molhado.
 procuro-te, pensativoramente.

por momentos - muitos - 
tu és a própria bússula.

Ondjaki, in "Acto Sanguíneo"


 (Lourdes Castro)

Faço dos meus passos um eco dos teus.
(Per)sigo-te nas horas plácidas de sábado à tarde.
Ao longe, o ressoar de um riso, os passos firmes.
Ficas suspenso na rua dos meus sonhos.


12 comentários:

  1. Procuro-te em passos apressados, levemente adocicados... Bonito, Maria! :)
    Bom fim de semana!

    Kiss

    ResponderEliminar
  2. Cuidado, cuidado
    Só tenho o sentido
    de ir para um único lado

    se a rua dos teus sonhos for a minha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bom que a rua dos sonhos tenha o mesmo sentido que a de com quem sonhamos! :)

      Beijinhos Marianos, Rogério rimador! :)

      Eliminar
  3. A vida é uma sucessão de buscas, de partidas, em que apenas há uma certeza: nada ficará como dantes.
    Dizia um génio: "Só se vê bem com o coração".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora o coração seja um 'cadito míope! ;)

      Beijinhos Marianos, Legionário! :)

      Eliminar
  4. Procurar o sonho numa realidade suspensa. Caminhar sempre de coração aberto. :)
    Beijinhos Maria)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (Per)seguir a felicidade... :)

      Beijinhos Marianos, I! :)

      Eliminar
  5. Gostei das tuas palavras, do poema e da música de Borodin. Bem conjugado mais uma vez !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Ricardo! :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar