terça-feira, março 25, 2014

O triunfo dos argentários

"-Pronto! Descobri: é um aviário! Olha-me para aquela mesa de honra: o que para ali vai de mochos, de corujas, de falcões, de catatuas!... Tu já tinhas dado alguma vez pela existência desta colecção cá na casa?
-Não, Lício - respondeu desmorecidamente Manuel João. Aquele primeiro aniversário da Acção não correspondia, nem pouco nem muito, ao que ele sonhara e vivera de antemão. Claro que era só a parte mundana, uma coisa puramente simbólica... e que mal simbolizada!... Logo à entrada notara a separação das "castas": uma mesa para a redacção, outra para a administração, outra para a tipografia... e a Outra, que era a dos "deuses" e dos seus favoritos. Aquelas faces toscas de finaceiros, de arranjistas, de adventícios! Um dos absurdos lógicos da vida: o êxito daquela espécie humana tão tacanha e desinteressante..., os argentários. Os "espertos". Incapazes, no entanto, fora das cifras, quase sempre, de dizerem três palavras sem arriar bojarda. -Não achas, Lício?
-Acho: acho que os falhados é que são as pessoas interessantes em geral. O que eu acho também é que isto não me cheira bem. Há qualquer coisa podre no reino da Dinamarca... Perguntei ao Diógenes, não conheces?, aquele catraio além, um servente das máquinas... O desgraçado nem tinha lugar..."

Urbano Tavares Rodrigues, in Os Insubmissos



(David Alfaro Siqueiros)

Hoje, como ontem, os argentários ocupam a mesa de honra, rodeados pelos arranjistas e adventícios. Hoje, como ontem, procura-se separar as "castas", não vá a estratificação social ser abalada e fazer com que um Dalit, um mero servente de máquinas, tenha lugar à mesa dos restantes.



14 comentários:

  1. "Os Insubmissos" um dos melhores romances do meu querido amigo Urbano!

    E , infelizmente, tão actual...

    Bons sonhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O primeiro dele que li foi "Angústia para o jantar". Adorei.
      Muito actual, sim. Por isso fui relê-lo e achei oportuno citá-lo.

      Beijinhos Marianos, São! :)

      Eliminar
  2. Uma verdade muito atual e dificilmente combatida...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que cometemos sempre os mesmos erros!

      Beijinhos Marianos, I! :)

      Eliminar
  3. Enquanto houver um haverá outros. No final acabarão todos ao mesmo nível - sete palmos abaixo da terra. Depois começa tudo de novo.

    Beijo, Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que os distingue é que os herdeiros de uns viverão melhor do que os dos outros, perpetuando as desigualdades...

      Beijinhos Marianos, JM! :)

      Eliminar
  4. Enfim, sociedade complicada esta!

    Kiss, Maria! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Põe complicada nisso!

      Beijinhos Marianos, Vénus! :)

      Eliminar
  5. Lício! Faz-me lembrar o nome de um professor que uma vez ouvi numa palestra e que me encantou. Mas o deste senhor era diferente e não é nada argentário.

    Angentário também me faz lembrar Argentina, uma vez fui lá, através de fotografias que um casal amigo me mostrou quando lá estiveram de férias com o filho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Professores que palestram bem são bons de ouvir!

      Argentina? Ah, o Tango! :)

      Beijinhos Marianos, AMN, e obrigada pela visita! :)

      Eliminar
  6. Boa tarde,
    habitual quando se está em grupo.
    Abraço
    ag

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas não devia. Não devia. Este tipo de castas, não!

      Beijinhos Marianos, ag! :)

      Eliminar