quinta-feira, junho 09, 2016

La razon se pierde razonando



Clara misturava-se no bulício do mercado, enleada na doçura das palavras, no castelhano arrastado, no colorido das frutas, das flores, no eco das milongas tocadas em gira-discos de plástico. Havia naquele povo todo um orgulho no olhar que negava as ruas esburacadas, a praia não vigiada onde os meninos saltavam do cais para o mar em revoadas de risos, libertos das roupas cerzidas pelas mãos hábeis de avós. Sorriam-lhe, os tendeiros, bebendo mate e ofertando de tudo um pouco.
Foi ao virar aquela esquina que umas palavras escritas na parede a fizeram parar: "La razon se pierde razonando". Assim, de pernas para o ar, como que para obrigar a uma atenção redobrada.


43 comentários:

  1. La razon se pierde* razonando

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muchas gracias! Corrección efectuada. La "i" se había perdido en el título. :)

      Eliminar
  2. por momentos viajei para longe embalado nas tuas palavras, e foi muito bom :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ao mercado? :)

      Obrigada, Stormy.

      Beijinhos :)

      Eliminar
  3. palavras que nos fazem pensar pela profundidade...parece simples mas não é!
    muito grato

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço, Perus, a presença e as palavras.

      Beijinhos :)

      Eliminar
  4. Por vezes é preciso sair da moldura, e Clara saía da moldura. :)

    Beijo, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso as há vazias, encostadas à parede. :)

      Beijos, Teresa.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Discutir pode matar a razão.

      Beijos, Carmem :)

      Eliminar
  6. Só na língua castelhana "razón" é, afinal, sufixo de "corazón".
    Talvez esteja aí a chave.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que doce é o Castelhano!

      Beijinhos, Xilre :)

      Eliminar
  7. Num mundo
    ele próprio invertido
    esse letreiro
    faz todo o sentido

    há que pôr sentimento
    no juízo
    (Minha Alma e Meu Contrário são inseparáveis, sabias?)

    ResponderEliminar
  8. Uma viagem imaginária a locais com águas mornas e feiras junto à paria.
    Bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabem sempre bem, as viagens, sejam imaginárias ou reais

      Beijinhos, Pedro :)

      Eliminar
  9. Uma única frase atravessada pode provocar um tempo pra quê mesmo ? se o 'coração tem razões que a própria razon desconhece... rs
    Estava sentindo falta das partilhas tão bonitas,interessantes e dos textos que provocam sim razões para voltar aos amigos.
    muitos abraços de volta Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um abraço e mais dois beijos, Lis. Bom ver-te de volta! :)

      Eliminar
  10. A Clara e a vida como se pinta.
    BFS tal e qual...
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma parede que fala.:)

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  11. Como traduzes «razonando»?
    Prefiro traduzir por julgando,
    mas também pode ser raciocinando ou argumentando.

    Bebiam mate,
    então, eram da parte mais meridional da América.
    Talvez do país de Francisco, o papa.
    Países de grandes contrastes sociais.

    Como sempre, gostei muito do tezto.
    Beijo, desejando ótimo fim de semana.
    ~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu interpretei como sendo "discutindo". ;)

      Beijos, Majo, e obrigada :)

      Eliminar
  12. Bom texto.
    Ora segura aí um beijinho com votos de um maravilhoso fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Observador.
      Segurei! :)

      Beijinhos e continuação de uma boa semana :)

      Eliminar
  13. Ao virar da esquina, a vida, a lançar um desafio a, doce, Clara; Faz o pino!
    Muito bom, Maria.
    Beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vida "adentro hacia afuera".

      Beijos, Té, e obrigada :)

      Eliminar
  14. A razão, anda muitas vezes, virada do avesso.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  15. Por alguma razão vim aqui antes de me deitar, Maria. Por vezes esqueço-me de coisas tão óbvias. Obrigada. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma simples frase numa parede...

      Beijos, Ava :)

      Eliminar
  16. Um texto excelente que me fez seguir a Clara por esse "bulício do mercado". E com ela li a frase escrita de "pernas para o ar". E fiquei a pensar: será que a razão não precisa de se justificar?...
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez precise, Graça, mas sem exageros. :))

      Beijos e obrigada :)

      Eliminar
  17. Gostei imenso, embora não goste de castelhano. No entanto todas as línguas de origem hispânicas, como neste caso o uruguaio, são mais bonitas que a língua mãe !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu adoro o Castelhano. Então na poesia!

      Beijinhos, Ricardo, e obrigada :)

      Eliminar
  18. A parede está de braços para o chão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que estão razonando, parede e chão?

      Beijinhos, Luís :)

      Eliminar
  19. Muito bonito. Quanto a mim o melhor é mesmo não "razonar" (raciocinar) sob pena de a perdermos sempre "la razon"
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que está frase tem de bom é prestar-se a diversas interpretações.

      Beijos, GM :)

      Eliminar
  20. Eu tenho por hábito esquecer a razão. :)

    Tão doce este teu texto, Maria. :)

    Um beijo no teu coração. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei como é, Castiel. O meu coração também se arma em chefe. :))))

      Beijo, menina linda :)

      Eliminar