quinta-feira, outubro 17, 2013

Escada

Só te vi 
           quando 
                      te toquei


 

E só então
                subi os degraus

8 comentários:

  1. Plant & Page... ora aí está uma forma de voar... sem subir escadas, nem utilizar um Zeppelin... :)

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca nos cansamos de os ouvir! :)

      Beijinhos Marianos!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Obrigada, Loira mais destemida da blogosfera! :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  3. Abri os olhos e apenas me ouvi..ouvi o choro, ouvi o desespero.. Vi-me num mundo diferente do qual me habituei. Senti-me inseguro, solitário, mesmo rodeado de indivíduos e sem ter a mínima noção de sentimento. Quis voar, gritar, sair dali.. Para mim, o mundo era imperfeito, era escuro, só, injusto.. Um espaço cheio de degraus…Degraus pequenos mas grandes para mim. Olhei para cima, e via degraus ainda maiores, angustia, sofrimento..

    De repente, ouvi um som de uma música cujo volume ia aumentando cada vez mais e mais, era Stairway to Heaven. Senti-me único, contente , o meu desespero fora-se por momentos..Parei, olhei, sorri. A letra desta música batia certo com este momento, não sabia o que pensar na altura. Preferi sorrir..O que significaria sorrir?

    Fui pensando, fui crescendo, sem nunca ter conseguido responder a tal pergunta.

    Um dia, tropecei num degrau, e quando ia a cair, um corrimão surgiu..

    Gritei, estava tonto de tantas curvas, de tantos degraus, de ver a mesma parede. Uma parede branca, sem algo mais. Fiquei em silêncio, e ouvi um grito. Ouvi um grito que ficou comigo em pensamento. Não o conseguia esquecer..e mesma música como pano de fundo a “seguir-me”…

    Deu-me força, coragem, esperança. Pensei que os degraus iriam diminuir e mais tarde acabar, que as curvas deixariam de existir. Então subi, subi, mas desiludi-me. Os degraus aumentaram , as curvas eram ainda maiores, senti-me só.

    Um grito surgiu de novo, agarrei-me ao corrimão, olhei-o e pensei que não estava sozinho. Agarrei-me com força aquele corajoso corrimão que estava disposto a subir comigo.. e subi, subi e subi. Subi com força, garra, esperança, coragem e confiança. Tropecei vezes sem conta, vi os degraus a aumentar, vi as curvas enormes, mas não parei.. Olhei para cima, não via fim.

    Parei, pensei.. Vi que aquela enorme parede não me abandonara, por mais simples que seja, ela não desistiu.. o corrimão não me deixou cair, nunca. Pensei que podia ser como eles, então corri… Vi uma luz, sorri. Sorri de novo, mas porquê?

    Não desisti, corri e corri.. Acreditei e agora posso dizer que passei por todos aqueles degraus e nunca fiquei sozinho. Aprendi que os degraus não vão deixar de existir no resto do meu caminho e que as curvas se vão complicar mais, aprendi que vou ficar muito mais tonto mas não vou desistir.. Interroguei-me: ‘’Se fosse tudo a direito, qual seria a piada?’’ Olhei para baixo e vi que valeu a pena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Legionário, tens que criar um "canto" blogosférico só teu para escreveres. :))))
      Percebi a mensagem optimista. :)

      Beijinhos Marianos!

      Eliminar