quinta-feira, setembro 29, 2016

Brincadeira


A mulher lia o jornal, em pose descontraída, folheando-o vagarosamente na mesa da esplanada, onde uma chávena de café vazia, com uma marca vermelha de batôn na borda, repousava virada para ela. A menina surgiu ao lado dela, passitos pequeninos mas rápidos. Ria-se e batia palmas. Abriu-se um sorriso na cara da leitora do jornal, fechado e arrumado de seguida. Começou uma brincadeira entre as duas. Uma conversa entrecortada por (sor)risos, mãos a bater umas nas outras, pés a imitar sapateados. De repente, a menina olhou fixamente a parceira de folia e disparou:
- “Tu tens muitos anos?”
A mulher, sempre a sorrir, respondeu:
- “Tenho, pois! Mesmo muitos!”
- “Ah! Tens muitos mas sabes brincar mesmo bem!”, disse a menina.

E ali ficaram, brincando.

32 comentários:

  1. Bom quando, não se perde a criança que há em cada um de nós :))

    Boa noite Maria TU
    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Há sempre uma criança que permanece em nós.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Quantos mais anos, mais experiência. até a brincar. :)

    ResponderEliminar
  4. Oh.... que fofinho. :-)
    E que tão grande elogio foi esse, hein?
    Beijinhos, Maria, tipo muitos, como os anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma menina muito treteira! :)

      Beijocas, das repenicadas, Susaninha :)

      Eliminar
  5. What a JOY to visit your blog this morning.
    That glorious flash mob performance of ODE TO JOY.
    I love how the experience grows before an unsuspecting crowd,
    especially the children. It made me smile and cry.
    Thank you for sharing.
    X X X

    ResponderEliminar
  6. Tão querido. São boas as pessoas que não perdem a capacidade de brincar. E fazer os outros sorrir.

    Beijinho Maria feliz.

    ResponderEliminar
  7. Encantador e comovente, Ana.
    Grata pela breve, mas
    deliciosa leitura.
    Gostei muito.
    Beijinho.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  8. Não paramos de brincar porque envelhecemos, envelhecemos porque paramos de brincar.
    Gostei Maria, fez-me recuar no tempo e lembrar-me da minha infância:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bom não perdermos a capacidade de brincar!

      Beijinhos, Legionário :)

      Eliminar
  9. Brincar mas, sobretudo, saber brincar é quase uma arte que não escolhe idade.
    Beijo, Maria Tu ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que bela arte, a da brincadeira!

      Beijos, Observador :)

      Eliminar
  10. Um texto delicioso, gostei imenso.
    Maria, tem um bom resto de semana.
    Beijo.

    PS: já há muito tempo que aqui não vinha... perdemo-nos algures no tempo... mas gostei de voltar.

    ResponderEliminar
  11. Brincar é uma arte que se apruma com a idade. Espero :)

    ResponderEliminar
  12. Marcelo não brinca

    assumiu hoje
    que há ricos por fatalidade

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Huuuuummmm... Marcelo sabe-a toda!

      Beijinhos, MA :)

      Eliminar
  13. :)

    Brincar com os miúdos renova a nossa alma :)

    Beijinhos e bom domingo Tutu :)

    ResponderEliminar
  14. Deliciosa, a história. As crianças têm esse dom de despertar o desejo de brincar, seja em que idade for.
    Uma boa semana.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que bom que é, Graça, brincar!

      Beijos :)

      Eliminar
  15. Penso ser uma benção saber-se ser criança até o fim.
    Que feliz trecho produziste, Maria.

    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja sempre essa capacidade, Agostinho!
      (imagino que estejas melhor... fico contente por isso)

      Beijinhos :)

      Eliminar
  16. Que nunca se perca essa alegria em todas as pessoas e triste aquele que não consegue brincar.
    E o que adoro brincar, nada melhor que ouvir rir e ver sorrir aqueles que gostamos.

    Beijos Maria

    ResponderEliminar