sábado, setembro 17, 2016

Invisível

(Norman Rockwell)

Quando se tornou invisível, decidiu nunca mais permitir que mandassem em si. Foi então que, pela primeira vez desde há muito tempo, viu a sua imagem reflectida nos olhos de outra pessoa.


46 comentários:

  1. Olhos nos olhos
    Os meus nos teus... os teus nos meus
    Eu te olhos com teus olhos
    E tu me olhas com os meus!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E como é bom podermos vermo-nos reflectidos nuns olhos que amamos!

      Beijos, PDR :)

      Eliminar
  2. One of his most intimate works.
    That age, that wonder.
    I love it.
    And Satie is absolutely perfect for this post.
    xoxo

    ResponderEliminar
  3. Esse é o momento do retorno à visibilidade, sob outra forma, com outra imagem. Felizmente, irrecuperável a anterior.
    :)
    Beijos, Mary

    ResponderEliminar
  4. às vezes, a mim, apetecia-me uma capa de invisibilidade. aproveitava para passar pelos pingos da chuva, mesmo que miudinhos. muito invisível...
    beijinhos, Maria.

    ResponderEliminar
  5. O gosto da liberdade faz milagres,
    no entanto,
    ser invisível exige grande esforço de anulação...
    ~~~ Beijo ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há invisibilidades que, se procuradas, podem ser aprazíveis. Contudo, ser invisível em permanência sem que o queiramos, causa danos irreversíveis.

      Beijos, Majo :)

      Eliminar
  6. Quem me dera poder ser, por vezes, invisível e deixar-me ir por aí, sem destino nem regresso previsto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes era o que apetecia... Mas só às vezes!

      Beijos, Esmy :)

      Eliminar
  7. Tenho uma relação mal resolvida com a invisibilidade. Dias há em que o quero ser e não consigo. Outros em que o sou e o não quero.
    :)

    ResponderEliminar
  8. A invisibilidade têm os seus riscos. É um processo com riscos. O retorno poderá deixar de ser possível a partir de um ponto indeterminável do caminho se o espelho refletir uma só face.
    Felicidades, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso é bom vermo-nos nos olhos de outrem. Ajuda-nos a entendermo-nos melhor.

      Beijinhos, Agostinho :)

      (a curva foi ultrapassada com sucesso?)

      Eliminar
  9. Muitas vezes apetece mesmo ser invisível...
    Boa semana

    ResponderEliminar
  10. Por detrás do olhar de alguém é que nos apercebemos, às vezes, que existimos... Muito belo. A imagem é linda.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O olhar da menina foi muito bem captado pelo artista, de facto.
      (obrigada)

      Beijos, Graça :)

      Eliminar
  11. Amar alguém, é ser o único a ver e sentir algo maravilhoso invisível aos outros;)

    Boa semana, Maria :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que leitura terna, Legionário!

      Bom fim-de-semana Barroco! :)

      Eliminar
  12. Li e reli , pois este pensamento, além de verdadeiro é digno de uma reflexão.

    Adorei a imagem e a música.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  13. Praticar a invisibilidade é por vezes impossível, mas nem sempre. Vejamo-nos aos olhos dos outros.
    Beijinho Maria

    ResponderEliminar
  14. Só pra dizer que vou estar numa curva apertada durante uma semana. Darei nota quando sair.

    Bj, Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que faças essa curva com segurança e regresses à recta ao lado de todos nós rapidamente!

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  15. Pois.......
    e é aí, nesse momento em que a decisão, que seria definitiva, é repensada.
    Os olhos dos outros falam-nos tanto... mais do que a boca.
    ;)

    bjn amg

    ResponderEliminar
  16. O pensamento da imagem é uma realidade constante...

    ResponderEliminar
  17. du fil des étoiles

    com Erik Satie, também vejo de olhos bem fechados


    um fio de estrela para si, Maria

    ResponderEliminar