sexta-feira, setembro 16, 2016

Combustão



(
Alberto Burri )

Combustion


          If a human body has two-hundred-and-six bones
and thirty trillion cells, and each cell
has one hundred trillion atoms, if the spine
has thirty-three vertebrae—
if each atom
has a shadow—then the lilacs across the yard
are nebulae beginning to star.
If the fruit flies that settle on the orange
on the table rise
like the photons
from a bomb fire miles away,
my thoughts at the moment of explosion
are nails suspended
in a jar of honey.
                           
                                    I peel the orange
for you, spread the honey on your toast.
When our skin touches
our atoms touch, their shadows
merging into a shadow galaxy.
And if echoes are shadows
of sounds, if each hexagonal cell in the body
is a dark pool of jelly,
if within each cell
drones another cell—
                   The moment the bomb explodes
the man’s spine bends like its shadow
across the road.
The moment he loses his hearing
I think you are calling me
from across the house
because my ears start to ring.
From the kitchen window
               I see the lilacs crackling like static
as if erasing, teleporting,
thousands of bees rising from the blossoms:
tiny flames in the sun.
I lick the knife
and the honey pierces my tongue:
                      a nail made of light.
My body is wrapped in honey. When I step outside
                          I become fire.


Sara Eliza Johnson





Combustão

      Se o corpo humano tem duzentos e seis ossos
e trinta triliões de células e cada célula
tem cem triliões de átomos, se a coluna vertebral
tem trinta e três vértebras—
se cada átomo
tem uma sombra—então os lilases do outro lado do pátio
são nebulosas começando a fulgir.
Se as moscas da fruta que poisam na laranja
pousada na mesa se erguem
como fotões
do incêndio
de um bombardeamento a milhas de distância,
Os meus pensamentos no momento da explosão
são unhas suspensas 
num frasco de mel.
                   Eu descasco a laranja
para ti, barro o mel na tua torrada.
Quando a nossa pele se toca
os nossos átomos se tocam, as suas sombras
confundindo-se numa galáxia de sombra.
E se os ecos são sombras
de sons, se cada célula hexagonal do corpo
é um poço escuro de geleia,
se dentro de cada célula
pulsa uma outra célula
               No momento em que a bomba explode
a coluna do homem curva-se como a sua sombra
sobre a estrada.
No momento em que ele ensurdece
Eu julgo que tu me chamas
do outro lado da casa
porque os meus ouvidos começam a vibrar.
Da janela da cozinha
             eu vejo os lilases faiscando, estáticos
como que apagando, transmutando,
milhares de abelhas a erguerem-se das flores:
minúsculas chamas na luz do sol.
Eu lambo a faca
e o mel terebra a minha língua
              uma unha feita de luz.
O meu corpo está coberto de mel. Quando saio para a luz
              incendeio-me.

Sara Eliza Johnson traduzida por Maria Eu

20 comentários:

  1. I love this music and video. Nice choice.
    The Burri work is amazing.

    (Thinking about the moment, when our "atoms touch.")

    Maybe I'll dream about all this, tonight.
    xoxo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beth Hart and Joe Bonamassa, together with Burri, seemed to be intense enough to illustrate Sara Eliza Johnson's poem.
      Thank you, Rick!

      Kisses

      Eliminar
  2. Palavras que aquecem nesta manhã mais fresca :)
    Beijos Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como mel ao sol.
      Gostei de te "ver", I!

      Beijos :)

      Eliminar
  3. O amor é combustão espontânea;)

    Bom fim de semana, Maria:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E infinita enquanto dura o amor.

      Beijinhos, Legionário, e muito sol! :)

      Eliminar
  4. Agora apeteceu-me mesmo uma colher de sopa de mel, Maria. :)
    Beijos e bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom para adoçar a boca.

      Beijos, Teresa, e um fim-de-semana doce como o mel. :)

      Eliminar
  5. Este amor é dourado, cor de mel. Bom fim de semana Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom fim-de-semana, GM. Deixa o gato tomar conta da tábua e aproveita para retomar o fôlego!:D

      Beijos :)

      Eliminar
  6. Um poema muito interessante que bem mereceu
    a cuidadosa tradução.

    Também tenho poema longo e sensual no meu 'post'...

    Beijinho grato pelos bons momentos de leitura.
    ~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li-o e não resisti.

      Beijos, Majo, e obrigada. :)

      Eliminar
  7. Soberbo poema e belíssima escolha musical!

    ResponderEliminar
  8. "light my fire.
    try to set the night on fire".

    boa semanada, Maria.

    ResponderEliminar
  9. Um poema em perfeita ebulição :)

    Um beijinho outonal

    ResponderEliminar