terça-feira, julho 05, 2016

Fomos mãos. Somos flores.


(daqui)




Nós fomos
mãos,
esvaziámos a treva, encontrámos
a palavra, que subia do verão:
flor.


Flor - uma palavra de cegos.
Os teus olhos e os meus olhos:
vão em busca de água.


Paul Celan






Nós somos
flores,
nascemos da luz, encontrámos
as mãos, que se tocaram:
carícia.

Carícia - o toque dos amantes.
As tuas mão e as minhas mãos:
vão em busca do amor.

Maria Eu, depois de ler Paul Celan

19 comentários:

  1. What a beautiful performance of Biber's piece.
    (and Elicia Silverstein is a beauty in her own right.)
    And a perfect image to accompany.
    Thanks for sharing,
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Biber is exquisit!
      Thanks for coming here, Rick!

      Eliminar
  2. Vem o verão
    e é vê-las desabrochar
    ao toque leve de dar
    as mãos nas mãos


    Bj, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Profusas em cor e perfume.

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  3. O Paul que me perdoe... mas eu gosto mais do poema da Maria Eu! :)

    Beijos nas tuas mãos
    (^^)


    (ainda estou a ouvir Biber... e gostei sobretudo da elegância da violinista)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paul Celan é um gigante...
      Grata, ainda assim, minha amiga! :)

      Beijos floridos :)

      (Biber é maravilhoso e esta violinista é excelente. Para além de elegante, sim.)

      Eliminar
  4. EU também pensei o mesmo... a releitura do Paul Celan ficou mais íntima que o original.
    Mais íntima, mais doce, mais generosa.... mais linda!
    "Somos luz, que desabrochamos flores, somos a flor nascida da carícia e da conjunção dos amantes".

    ResponderEliminar
  5. Sempre gostei de mãos, é no toque que me reencontro. :)

    O teu poema guarda as cores da primavera. :)

    Um beijo no teu coração. :)

    ResponderEliminar
  6. A s mãos são assim quando tocam
    e se desfolham

    Bjs

    ResponderEliminar
  7. As mãos são a alma da pele. O toque e a sensação, são fundamentais, fazem parte do todo que nos define. Completa-nos enquanto seres emotivos, afectivos e sensitivos.
    Gostei de sentir o contagio de Paul Celan no teu eu :)

    ResponderEliminar
  8. Eu já disse que é preciso instituir o dia internacional das mãos, mas ninguém me liga.

    ResponderEliminar
  9. Não falta um s, ME?

    Muito interessante!

    Gosto mais da tua poesia concreta e delicada...

    ~~~ Beijo ~~~

    ResponderEliminar
  10. Maria, primeiro foi a foto que me prendeu.
    Depois, houve algo que pela primeira vez nos teus escritos do género me levou a fazer uma comparação quase palavra a palavra. E nisto gostei muito da tua passagem flor / carícia.
    Continuação de boa semana!

    ResponderEliminar
  11. Os "toques" dos amantes, todos eles, sejam quais forem, especialmente se de pele com pele, são extremamente deliciosos !!! ... O Céu ao nosso alcance !
    Tenho feito a apologia do "Abraço", este um outro tipo de toque, do qual já fiz mais que um post, com características e vantagens de vários tipos no ser humano, ... e até não só !

    Mas, ...
    "Encontrámos as mãos, que se tocaram: carícia.
    Carícia - o toque dos amantes. As tuas mão e as minhas mãos: vão em busca do amor."

    ... Quanto valem de Amor, estes simples toques prolongados de mãos com mãos, em momentos que um outro tipo de intimidade (mais intensa) não nos é "permitido" !? ...
    Um simples "toque" ... o que pode representar ?! ...

    Beijinho virtual (sem toque), Maria Eu ! :))

    ResponderEliminar
  12. E nos dois extremos da vida, quando abrimos os olhos para o mundo e quando os fechamos para sempre ainda as mãos prevalecem.

    ResponderEliminar
  13. Gosto das tuas palavras e da "tua" música !

    ResponderEliminar
  14. As mãos são os nossos olhos quando os fechamos. Sensações maravilhosas que elas nos trazem. Beijinho Maria

    ResponderEliminar