sábado, abril 30, 2016

Feitiço

(Yinka Shonibare)


Naquele dia, a fada entrou pela janela do quarto e, enquanto ela dormia, disse:

- Quando voltares a sentar-te num baloiço e fores capaz de repetir a proeza de fazê-lo voar até dares a volta ao suporte superior sem caíres ou sem deixares que o vestido se te descomponha com o movimento, só então, serás livre.

Dali em diante, os governantes mandaram que fossem retirados todos os baloiços de onde os pudesse encontrar. Havia uns, poucos, em quintais de muros demasiado altos para serem transpostos. Nunca seria livre.


18 comentários:

  1. Os contos de fadas podem não existir... mas eles servem para mostrar que se corremos atrás dos nossos sonhos, eles podem-se realizar...

    Bom fim de semana, Maria :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde que não sejam fadas como esta...

      Beijinhos, Urso Misha, e uma boa semana :)

      Eliminar
  2. ~ ~ ~
    Só o nosso pensamento é completamente livre.

    Os governos condicionam-nos, sim, demasiado.

    Parabéns pela pródiga criatividade, ME.

    Beijinho.
    ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tanto nos limitam que muitos de nós deixam de saber o que significa.
      Obrigada, Majo!
      Beijos :)

      Eliminar
  3. E assim se prova que até as fadas
    são suspeitas de terem seus encantos
    comprometidos com o sistema

    Porque raio haveria a liberdade estar
    condicionada por um qualquer baloiçar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As fadas são uma dissimuladas, não sabias? ;)

      Beijinhos :)

      Eliminar
  4. Maria, falas em muros altos que é uma coisa que me provoca urticária... As excepções que se fazem na lei , em alíneas ou, na sua ausência, com recurso a poderes discricionários, vista grossa, etc, permitem que os muros na Quinta da Marinha tenham alturas superiores à do meu jardim.
    Agora entendo as balelas da fada. Aquela gente anda de baloiço sem qualquer restrição. Pelo menos é o que se tem visto desde que a D. Judite arranjou chave para entrar.
    Grande Maria! Tu sabe-la toda.
    bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há sempre os que levantam muros acima dos jardins dos demais. Há sempre os que voam mais alto e querem os céus só para eles...

      Obrigada, Agostinho, e um beijinho :)

      Eliminar
  5. Há muros que foram feitos para derrubar e aí sim, seremos livres Maria. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja força anímica para fazê-lo!

      Beios, GM :)

      Eliminar
  6. Até os muros por muito altos que sejam acabam um dia por ser galgados ou derrubados. Já os baloiços, Maria, dariam pano para muitos vestidos. :))
    Bom domingo
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É preciso saber andar de baloiço. É preciso saber voar sem cair.

      Beijos, Ava :)

      Eliminar
  7. Livres? nunca seremos, dependemos sempre do ar que respiramos, de alimento, dos efeitos da lei
    da gravidade, não dá para sermos livres, bjs e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A liberdade é o que quisermos fazer dela e há os que se permitem cerceá-la...

      Beijos, Zulmira, e uma boa semana :)

      Eliminar
  8. Sento-me tantas vezes em baloiços...
    Gostei muito, Maria.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O baloiço tem aquele "gostinho" a possibilidade de voo.
      Obrigada, Laura!

      Beijos :)

      Eliminar
  9. Pois livres nunca nos deixarão ser :((... mas haverá sempre pessoas a tentar sê-lo e isso é muito Importante !!!... Música muita intensa e boa !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que não nos verguemos.

      Beijinhos, Rogério :)

      Eliminar