sexta-feira, abril 15, 2016

Bordado

(do último dia de sol antes da borrasca)


Bordou, a fio mesclado de azul-céu e azul-mar, a imensa linha do horizonte. Depois de cuidadosamente rematado, pontilhou, a cheio, esparsas nuvens brancas. O areal e as rochas desenhar-se-ão de seguida, em movimentos de pulso requebrado e dedos ágeis.
Faltaram-lhe as gaivotas. Pousaram fora do linho da paisagem, no abrigo do coração.


39 comentários:

  1. E bordou lindamente em ponto-palavra. :)

    ResponderEliminar
  2. Tutu, you lucky gal sis:

    "em ponto-palavra" é das cousas mai lindas que li nos últimos tempos :)

    ____
    congrats to luisa, as well :)

    ResponderEliminar
  3. Excelente bordado de palavras.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. E acho que a borrasca, para infelicidade nossa, está para durar...

    Um beijo, Maria!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deu-nos uma trégua, hoje, mas amanhã regressa.

      Beijinhos, Jorge :)

      Eliminar
  5. Fiquei presa ao fino brilho desse amar, Maria.

    Um beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mar tem esse dom de nos encantar.

      Beijos, Teresa :)

      Eliminar
  6. ~~~
    Uma brilhante bordadeira, amante de poesia...

    Um fim de semana bom. para apreciar outro bordado semelhante...

    ~~~ Beijinhos, ME. ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bordar palavras...
      Muito obrigada!

      Beijos, Majo :)

      Eliminar
  7. Sem dúvidas, aliás nunca as tive, tens mãos de fada (não confundir com a homografa das agulhas). Dá-me prazer apreciar as tuas prosas, perdão, bordados.
    A proposito, tens posto aqui umas musiquitas fixes.
    BFS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fada será um exagero... Agradeço muito a tua gentileza, Agostinho!

      Bach é bastante "fiche", sim. :)

      Eliminar
  8. E pelo que parece, a borrasca passou...
    Como gosto do teu texto, Maria...tanta paz, tanta calma, tanto devagar...
    Bom sábado:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por momentos, sim, ana.
      Muito obrigada!

      Beijos :)

      Eliminar
  9. As impressões que nos ficam dos dias podem ser bordadas com fios de poesia. Levo daqui uma gaivota guardada no coração.

    Um beijinho, Maria Capelo Gaivota :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E como me alegra que a gaivota tenha escolhido o teu gentil coração para se abrigar!

      Beijos, Miss Smile :)

      Eliminar
  10. Assim se borda o enxoval da Maria e no fim, uma arca cheia de memórias de céus azuis, mar calmo, areia morna. Uma paisagem serena.

    Lindo.

    Bjnhs

    ResponderEliminar
  11. Como eu gostei desta lição trabalhos femininos... Na escola aprendíamos a bordar. :)
    Beijos, Maria!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devo confessar que nunca fui grande bordadeira.

      Obrigada, Isabel, e um beijo :)

      Eliminar
  12. Um bordado a cheio de palavras e afectos, delicado, belo e rematado a preceito com a música de Bach.

    Beijinho deliciado, Maria


    ResponderEliminar
  13. Maria

    Não é bordado, é tela
    e as gaivotas, a que alardes
    pousaram em terra
    augurando tempestades

    Só em bordados, o coração é abrigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Permite-me discordar, Rogério. O coração é o melhor porto de abrigo de todos!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  14. Maria, o tempo é um tecido invisível em que se pode bordar tudo ;)

    Boa semana :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E borda-se com o corção

      Beijinhos, Legionário :)

      Eliminar
  15. Um belo bordado de palavras poéticas e belissimamente acompanhado a Bach , com um cheirinho de Esposende (?) .

    Lindo, Maria Eu ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelas tuas palavras, Rui!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  16. como gosto do que escreves, e do bach lá no fundo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, polvo fujão. Acho que te vi ali ao fundo, junto às rochas!

      Beininhos :)

      Eliminar
  17. Que lindo, Maria.
    Mas deixou-me como o outro: "soube-me a pouco" - pois a mim, soou como um início de um conto que ainda pode estar por aí, algures nessa tua cabecinha a querer chegar aos dedos e teclar, teclar ;)
    * Eu gostava que as gaivotas se viessem abrigar no meu coração.

    bjn amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que haja uma gaivota aninhada nesse teu generoso coração, Carmem!

      Beijos :)

      Eliminar