segunda-feira, maio 23, 2016

Asas

(Zena Holloway)


Sobram-me asas dos voos que não faço.


24 comentários:

  1. Tem obviamente que voar mais.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  2. Não começam a pesar Maria?
    :)
    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas não há como cortá-las!

      Beijos, JT :)

      Eliminar
  3. Love this "bird woman" visual.
    With wonderful wind-trio to accompany.
    Nice.
    (Have a great week ahead, Maria. XX)

    ResponderEliminar
  4. ~~~~
    Antes sobrar do que faltar!

    É preciso empenhamento e ousadia...

    Espero pela edição de um espantoso livro de contos.

    ~~~ Beijinhos ME. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, Majo, obrigada pelas palavras sempre tão carinhosas!

      Beijos :)

      Eliminar
  5. para empreender outros voos ainda mais alados


    um abraço, Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem sabe é isso! Estão a crescer mais e mais para um voo de longo curso.

      Beijos, Manuela :)

      Eliminar
  6. É dar-lhes alento para elas voarem :)

    ResponderEliminar
  7. put your head on my shoulder...

    beijo, Maria

    ResponderEliminar
  8. Por vezes, asas há que subvertem os equilíbrios frágeis das nuvens formadas debaixo dos tectos.
    Como contrariar imobilidades artriticas
    se o tempo não lhes chega?
    Então as asas ficam-se em pausa esperando pela maré.

    Bj.

    ResponderEliminar
  9. Gostei tanto, Maria. Que imagem tão cheia de "realidades".
    Boa noite. Beijo,
    Mia

    ResponderEliminar
  10. Eu aprendi a voar sem elas...

    Um beijinho, Maria :)

    ResponderEliminar
  11. Maria, provavelmente o melhor será nascer sem asas e fazê-las nascer e alargar à nossa própria custa :))

    ResponderEliminar
  12. Interessante esse pensamento, gostei Maria, bjs

    ResponderEliminar
  13. Posso pedir algumas emprestadas? :)

    ResponderEliminar
  14. Arrumo-as os pares, etiquetadas, para não me esquecer de nenhum.

    ResponderEliminar